Irmão de homem-bomba em show de Ariana Grande é condenado a 55 anos de prisão

Henrique Andrade*, da CNN em São Paulo
20 de agosto de 2020 às 15:02
Hashem Abedi ajudou e motivou seu irmão, Salman, segundo a Justiça
Foto: Polícia de Manchester/Divulgação/CNN

O irmão do homem-bomba responsável pela morte de 22 pessoas em show da cantora Ariana Grande foi condenado a, no mínimo, 55 anos de prisão nesta quinta-feira (20). Para a Justiça britânica, Hashem Abedi ajudou e motivou seu irmão, Salman, e é igualmente culpado pela explosão no evento realizado em Manchester, em 2017. 

Leia mais:
Reino Unido impõe quarentena obrigatória para turistas da França e mais 5 países

Segundo a Justiça, o ataque deixou 264 feridos e 710 sobreviventes, os quais também relataram trauma psicológico do ocorrido. Entre as vítimas, estavam sete crianças, sendo a mais nova com apenas oito anos de idade. Foi o pior ataque terrorista registrado na Inglaterra desde as explosões terroristas no metrô de Londres em 2005, que deixaram 52 mortos.

No início deste ano, Hashem, de 23 anos, foi considerado culpado pelas 22 mortes, assim como acusado de tentativa de assassinato relacionada aos sobreviventes e outra por causar explosão. A condenação foi decidida apenas agora, em agosto. 

O juiz Jeremy Baker considerou que os irmãos Abedi direcionaram o ataque deliberadamente ao show com público mais jovem. “Esses crimes foram uma atrocidade: em larga escala, com intenção fatal e com consequências terríveis”, concluiu o magistrado na decisão.

Por ter 20 anos na época do atentado, Abedi não pôde ser condenado à prisão perpétua. 

Nas redes sociais, o primeiro-ministro Boris Johnson escreveu que “o ataque foi um ato covarde de violência que atingiu crianças e famílias”. Para Johnson, “a condenação de hoje serve como oportunidade para refletir sobre tolerância, bondade e comunidade, valores fundamentais para nosso país e observados após a tragédia em Manchester”.


(*Sob supervisão de Giovanna Bronze)