Paraguai deve flexibilizar abertura de fronteira com o Brasil


Leonardo Lopes* e Iara Maggioni, da CNN, em São Paulo
15 de setembro de 2020 às 13:29 | Atualizado 15 de setembro de 2020 às 13:32
Foto exclusiva: Ponte da Amizade, na fronteira entre Foz do Iguaçu e Ciudad del

Ponte da Amizade, na fronteira entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este

Foto: Ministério da Justiça/Divulgação

O ministro da Saúde do Paraguai, Julio Mazzoleni, apresentou ao presidente Mario Abdo Benítez, nesta terça-feira (15), um protocolo para reabrir controladamente a fronteira com o Brasil pela Ponte Internacional da Amizade. "As situações epidemiológicas de Ciudad del Este e da cidade de Foz do Iguaçu se encontram em um estado bastante aceitável", disse para justificar a mudança.

O documento ainda será revisado por outros órgãos paraguaios antes de ser colocado em prática, mas o ministro espera que os detalhes do acordo e a burocracia sejam resolvidos o mais rapidamente possível. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa junto ao vice-ministro de Atenção Integral à Saúde, Julio Borba, e ao diretor-geral da Vigilância Sanitária, Guille Sequera.

Não foram dados detalhes claros se o protocolo já foi apresentado às autoridades brasileiras e como será negociada a medida.

Leia também:

Quem é Eduardo Pazuello, que será efetivado como ministro da Saúde

Identificar sintomáticos ajuda a evitar contágio da Covid-19 em aviões

Anvisa esclarece que medição de temperatura pela testa não causa danos à saúde

De acordo com Mazzoleni, a intenção é de que a Ponte que liga os dois países fique aberta somente para fins comerciais, e não para o turismo. As pessoas teriam um prazo máximo de 24 horas para cruzá-la e realizarem compras no país vizinho. Ao retornar, os paraguaios deverão seguir os protocolos de isolamento social vigentes. O controle da medida, no Paraguai, será feito em colaboração das autoridades de Saúde com o Departamento de Migração e as forças de Segurança.

"Será um procedimento feito com suporte tecnológico no qual as pessoas vão poder ingressar ao país dentro de certa margem de horário. e terão que cruzar a fronteira novamente, retornando no mesmo dia. Esse é o esboço geral", disse.

Além disso, o fluxo de migração entre os países não valerá para todo o Paraguai. O ministro afirmou que será definido um cordão sanitário para áreas específicas em Ciudad del Este que permitam essa flexibilização. Também será feita testagem em massa das pessoas que vivem dentro desta zona de fluxo.

O ministro pontuou que nenhuma pessoa que testou positivo para Covid-19, e não tenha cumprido 14 dias de isolamento, poderá cruzar a fronteira. "Não vejo isso tão distante, vejo a aplicação do protocolo no curto prazo. Tem coisas que não dependem apenas da Saúde. Mas é do interesse do Presidente que acontença o mais rápido possível", afirmou Mazzoleni.

A CNN entrou em contato com a prefeitura de Foz do Iguaçu, que afirmou que não se posicionará no momento. O governo do Paraná também foi contatado para comentar o anúncio do governo paraguaio, mas não houve retorno até o momento.

*Sob supervisão de Julyanne Jucá