Caso Biden vença, agenda econômica com Brasil se manterá, diz diretora da Amcham

'O que o Brasil tem nos Estados Unidos e o que os Estados Unidos têm no Brasil soma mais de US$ 110 bilhões', diz Deborah Vieitas

Da CNN, em São Paulo
30 de setembro de 2020 às 00:54

A diretora-executiva da Câmara Americana de Comércio, a Amcham Brasil, Deborah Vieitas, acredita que, como o Brasil é um parceiro econômico há tempos dos americanos, a boa relação se manterá caso o democrata Joe Biden vença a eleição americana deste ano. 

"Os Estados Unidos são um parceiro econômico de longa data, e o Brasil representa o segundo maior parceiro na América Latina após o México. Então, nossas relações econômicas são muito fortes. Caso Biden ganhe, acho que vamos ter uma agenda econômica que continua", explicou ela em entrevista à CNN.

E acrescentou: “O que o Brasil tem nos Estados Unidos e o que os Estados Unidos têm no Brasil soma mais de US$ 110 bilhões, e eu entendo que as relações econômicas têm sempre um caráter pragmático”.

Além disso, argumentou ela, Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama, conhece muito bem o Brasil. "Então, ele tem conhecimento da importância econômica e geopolítica do Brasil muito maior que outros presidentes".

Assista e leia também:

Os 6 grandes temas do debate desta noite entre Trump e Biden

Para professora, desafio de Biden será se conter diante das provocações de Trump

Biden divulga seu imposto de renda horas antes de debate com Trump

Deborah Vieitas, diretora-executiva da Câmara Americana de Comércio
Foto: CNN (29.set.2020)

Por outro lado, porém, Vieitas disse que "a plataforma democrata mais do que nunca hoje depende de cuidados com temas como meio ambiente, preservação da Amazônia, diversidade e direito das minorias".

"E esses são temas que com Biden passarão a estar no primeiro plano da relação entre os dois países”, avaliou. "Nós temos que, eu diria, fazer um esforço, já que a imagem do Brasil, especificamente nesses temas, tem estado contestada", continuou.