Incêndio atinge prédio de 33 andares em Ulsan, na Coreia do Sul

Não houve mortes relatadas até agora. 91 pessoas foram enviadas ao hospital por ferimentos leves, como inalação de fumaça e abrasões, de acordo com os Bombeiros

Jessie Yeung, Jake Kwon e Gawon Bae, da CNN
09 de outubro de 2020 às 04:07 | Atualizado 09 de outubro de 2020 às 04:11
Imagens nas redes sociais mostram incêndio de edifício em Ulsan
Foto: Twitter/ Reprodução

Dezenas de pessoas foram hospitalizados na cidade sul-coreana de Ulsan, depois que um incêndio atingiu vários andares de um prédio de apartamentos na noite desta quinta-feira (8).

O incêndio começou no prédio de 33 andares por volta das 23h de quinta-feira e seguiu na manhã desta sexta-feira, no horário local, segundo disseram autoridades à CNN. Imagens do local mostram uma fumaça negra ondulando acima do prédio e destroços enegrecidos espalhados pela rua.

Não houve mortes relatadas até agora. 91 pessoas foram enviadas ao hospital por ferimentos leves, como inalação de fumaça e abrasões, de acordo com o Corpo de Bombeiros de Ulsan.

Leia também:
Mísseis e máscaras: Coreia do Norte prepara desfile militar em meio à pandemia

Justiça em Madri anula novo lockdown decretado na cidade para conter Covid-19

77 pessoas foram resgatadas do prédio e outras 82 foram evacuadas para um hotel próximo, de acordo com o Ministério do Interior e Segurança do país.

Ulsan está localizada na costa sudeste da Coreia do Sul, perto da cidade de Busan.

A primeira chamada de emergência foi feita por um residente do 12º andar, mas não está claro onde o incêndio começou e o que o causou, informou o corpo de bombeiros.

O Ministério afirmou que o fogo parece ter se espalhado de um dos andares inferiores até o último andar, queimando a parede externa do prédio.

Segundo autoridades, a resposta rápida do corpo de bombeiros foi provavelmente o motivo pelo qual não houve grandes vítimas; os bombeiros chegaram ao prédio cinco minutos após receberem a primeira ligação.

Mais de 1.000 pessoas foram destacadas, disse o corpo de bombeiros, incluindo 930 bombeiros e 75 outras equipes de emergência.

Ventos fortes atiçaram as chamas e dificultaram a extinção completa do fogo, com brasas queimando por horas depois, de acordo com a Yonhap, a agência de notícias financiada pelo governo do país.

Na manhã de sexta-feira, as chamas ainda estavam queimando nos três últimos andares do lado oeste do prédio, alimentadas por ventos que sopravam de leste a oeste, disse o corpo de bombeiros. Pela manhã, 200 bombeiros faziam turnos para vasculhar o prédio andar por andar.

O primeiro-ministro sul-coreano, Chung Sye-kyun, agradeceu às equipes de emergência e aos bombeiros de Ulsan e expressou suas condolências aos afetados em um post no Facebook na manhã de sexta-feira. Ele também pediu aos ministérios do governo e autoridades de prevenção de incêndio que forneçam medidas de proteção mais fortes e planos de preparação para incêndios.

A Coreia do Sul enfrentou vários grandes incêndios nos últimos anos, sendo o mais recente um incêndio na cidade de Icheon em abril. O incêndio, que começou em um canteiro de obras, matou 38 pessoas e feriu pelo menos 10.