Rússia diz que autoridades de Armênia e Azerbaijão negociarão paz em Moscou

Novo conflito entre países começou em setembro em Nagorno-Karabakh – que segue as leis azeris, mas é povoada por armênios. Mais de 300 já morreram

Alexander Marrow e Maria Kiselyova, da Reuters
09 de outubro de 2020 às 04:55
Confrontos são os piores registrados entre Azerbaijão e Armênia desde os anos 1990
Foto: Reprodução - 28.set.2020 / Reuters

Autoridades de Armênia e Azerbaijão confirmaram que seus ministros das Relações Exteriores se encontrarão para conversas a Moscou, disse a agência de notícias russa RIA, citando o Ministério das Relações Exteriores da Rússia nesta sexta-feira (9).

Com o presidente Vladimir Putin pedindo o fim das ações militares no conflito de Nagorno-Karabakh, o Kremlin convidou o ministro das Relações Exteriores azeri Jeyhun Bayramov e seu homólogo armênio Zohrab Mnatsakanyan para negociações de paz.

"Baku e Yerevan confirmaram sua participação nas negociações em Moscou. Uma preparação ativa está em andamento", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

Assista e leia também:
Entenda por que Azerbaijão e Armênia estão em conflito em Nagorno-Karabakh

Com escalada no conflito entre Armênia e Azerbaijão, Irã teme guerra regional

376 mortos

O conflito entre Armênia e Azerbaijão começou no dia 27 de setembro em Nagorno-Karabakh – que segue as leis azeris, mas é povoada e governada pelos armênios étnicos. 

O ministério da defesa da região de Nagorno-Karabakh disse nesta sexta-feira que registrou outras 26 mortes entre seus militares, elevando o número de fatalidades para 376 desde o início dos combates com as forças azeris em 27 de setembro.

O conflito atingiu seu pior nível desde a década de 1990, quando cerca de 30.000 pessoas foram mortas.