Incêndio atinge encostas do Monte Kilimanjaro, maior montanha da África

Bombeiros e voluntários trabalham para combater o fogo pelo terceiro dia consecutivo. Redução de ventos melhora condições para controlar incêndio nesta terça

Nuzulack Dausen, da Reuters
13 de outubro de 2020 às 04:30
Manada de elefantes em parque nacional na Tanzânia, com o Monte Kilimanjaro ao fundo
Foto: Herbert2512/ Pixabay


Bombeiros da Tanzânia lutam pelo terceiro dia, nesta terça-feira (13), para controlar um incêndio nas encostas da montanha mais alta da África, o Monte Kilimanjaro, disseram autoridades da região.

O incêndio, inicialmente alimentado por fortes ventos, ganhou grandes dimensões no domingo na área de Whona, um centro de descanso para escaladores que usam Mandara e Horombo, duas das rotas que os turistas fazem para subir a montanha.

Segundo as autoridades locais, os ventos enfraqueceram nesta terça-feira.

Leia também:
Na Venezuela, igrejas fazem missa no estilo drive-in; veja como funciona

Após novos casos, cidade chinesa promete testar população inteira em cinco dias

Pascal Shelutete, funcionário do Serviço Nacional de Parques da Tanzânia (TANAPA), afirmou que, após o trabalho de bombeiros e voluntários, o incêndio estava "quase contido".

Centenas de bombeiros, residentes e estudantes da área juntaram-se ao esforço para combater o incêndio no Kilimanjaro, que tem quase 6.000 metros de altura acima do nível do mar. A montanha na Tanzânia atrai cerca de 50.000 alpinistas por ano.

"O tempo está calmo e não há vento forte que possa espalhar o fogo para outras áreas", disse Alex Kisingo, vice-diretor do College of African Wildlife Management, que enviou funcionários para combater o incêndio.

"O fogopoderia ter sido contido antes, mas o incêndio nas montanhas é muito complicado", disse ele, acrescentando que ninguém ficou ferido e que propriedades privadas não foram afetadas.

As autoridades esperam controlar o fogo nesta terça-feira, se o tempo continuar calmo.