Houve avanço mais consistente, diz especialista sobre acordos bilaterais com EUA

Brasil e EUA assinaram nesta segunda (19) pacote de acordos bilaterais para melhorar relações comerciais

Da CNN, em São Paulo
19 de outubro de 2020 às 22:07

O Brasil e os Estados Unidos assinaram nesta segunda-feira (19) um pacote de acordos bilaterais para relações comerciais e de investimento entre os países. 

Apesar de o acordo estar sendo costurado desde 2016, Creomar de Souza, gestor de risco político, acredita que, desta vez, houve um avanço “mais consistente”.

Assista e leia também:

Brasil e EUA assinam acordo para facilitar comércio e desburocratizar regulação

Delegação norte-americana participa de encontro na Fiesp

Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O´Brien, e ministro da Economia, Paulo Guedes, durante reunião em Brasília nesta segunda (19): Brasil e EUA assinaram acordo comercial e de cooperação
Foto: Adriano Machado - 19.10.2020/Reuters

“A indicação dada por ambos os governos e suas burocracias no dia de hoje é que, desta vez, nós conseguimos fazer um avanço consistente de temas. De um lado, não envolve questões tarifárias diretamente, mas de outro, pavimenta um caminho para uma evolução da matriz de comércio entre Brasil e Estados Unidos que nos últimos anos têm tido uma queda constante”, explicou ele em entrevista à CNN.

Segundo Souza, 2020, inclusive, é o pior dos últimos 11 anos no que diz respeito a esse comércio bilateral.

“Uma questão importante é saber como fica o cenário do diálogo entre Brasil e Estados Unidos após o resultado das eleições de 3 de novembro”, afirmou.

(Edição: Sinara Peixoto)