Eleições nos EUA: site de campanha de Trump sofre ataque e fica fora do ar

Uma mensagem publicada na página dizia que o mundo está 'farto" das 'notícias falsas' espalhadas pelo presidente dos EUA

Donie O'Sullivan e Brian Rokus, da CNN
28 de outubro de 2020 às 10:09 | Atualizado 28 de outubro de 2020 às 10:10
O presidente Donald Trump durante comício em Michigan
Foto: Jonathan Ernst - 27.out.2020 / Reuters

O site da campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ficou fora do ar por um breve período na noite dessa terça-feira (27) após um ataque hacker.

Uma mensagem publicada na aba de "próximos eventos" no site dizia que o mundo está "farto" das "notícias falsas" espalhadas por Trump.

"No início desta noite, o site da campanha de Trump foi atacado e estamos trabalhando com as autoridades policiais para investigar a origem do ataque. Não houve exposição a dados confidenciais porque nenhum deles está realmente armazenado no portal. O site já foi restaurado ", disse o diretor de comunicação da campanha, Tim Murtaugh, em um comunicado.

Assista e leia também:
Como se tornar presidente dos Estados Unidos; veja passo a passo
Quase 70 milhões de eleitores já votaram na disputa presidencial dos EUA
Lourival Sant'Anna: Trump e Biden têm apenas 1 semana para conquistar votos

Os autores do ataque alegaram, sem qualquer evidência, ter informações sobre Trump e publicaram detalhes de uma suposta conta de criptomoeda para a qual as pessoas poderiam transferir fundos, se quisessem ver as informações.

Os selos do FBI e do Departamento de Justiça encabeçavam a mensagem – aparentemente uma paródia do aviso que o FBI publica em sites que assume como parte de investigações criminais.

Todo o site da campanha pareceu ficar fora do ar por alguns minutos depois que a mensagem começou a se espalhar nas redes sociais.

A CNN tentou entrar em contato com uma companhia de segurança online, listada como provedora de serviços para a campanha de Trump, e com a Agência de Segurança de Infraestrutura e Cibersegurança (Cisa) dos EUA.

O diretor da Cisa, Chris Krebs, afirmou no Twitter: "Como eu disse ontem, adulterações de sites são barulhentas. Não se deixe enganar por essas tentativas de distrair, sensacionalizar e confundir. Em última análise, elas estão tentando minar sua confiança em nosso processo de votação".

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)