Papa nomeia 13 novos cardeais, incluindo o primeiro afro-americano

Nove dos 13 novos cardeais têm menos de 80 anos e são elegíveis ao grupo que que escolherá o próximo papa

Philip Pullella, da Reuters
28 de novembro de 2020 às 15:52 | Atualizado 28 de novembro de 2020 às 20:52


 

O Papa Francisco deu posse neste sábado a 13 novos cardeais, incluindo o primeiro afro-americano a ocupar o cargo, expandindo ainda mais o impacto do pontífice no grupo que um dia elegerá seu sucessor.

Os cardeais foram empossados em uma cerimônia, conhecida como consistório, que foi consideravelmente reduzida por causa da pandemia de Covid-19. Em vez dos habituais milhares, apenas 10 convidados por cardeal foram permitidos na Basílica de São Pedro.

Leia também: 

Vaticano chama Maradona de 'poeta do futebol' e diz que Papa ora por ele

Vaticano investiga conta do Papa Francisco após 'curtida' em foto de modelo

Papa Francisco na primeira audiência pública desde março
Foto: Guglielmo Mangiapane - 02.set.220 / Reuters


Nove dos 13 cardeais têm menos de 80 anos e são elegíveis, segundo a lei da Igreja, para entrar em um conclave secreto para escolher o próximo papa entre eles depois que Francisco morrer ou renunciar.

Foi o sétimo consistório de Francisco desde sua eleição em 2013. Ele já nomeou 57% dos 128 cardeais eleitores, a maioria dos quais compartilha sua visão de uma Igreja mais inclusiva.

Até agora, ele nomeou 18 cardeais de países que nunca tiveram um, quase todos do mundo em desenvolvimento. No consistório de sábado, Brunei e Ruanda tiveram seus primeiros cardeais.

Embora a Europa ainda tenha a maior parcela de cardeais eleitores, com 41%, esse número caiu em relação aos 52% de 2013, quando Francisco se tornou o primeiro papa latino-americano.