Joe Biden quebra o pé após acidente em brincadeira com o seu cão

Sarah Mucha e Rachel Janfaza, da CNN
29 de novembro de 2020 às 22:10 | Atualizado 30 de novembro de 2020 às 15:32

 

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, teve fraturas em seu pé e provavelmente precisará de uma bota para caminhar por várias semanas. O motivo? Biden escorregou enquanto brincava com o seu cachorro, Major, um pastor alemão, no sábado.

"As radiografias iniciais não mostraram nenhuma fratura grande, mas o exame clínico mostrou imagens mais detalhadas", disse o Dr. Kevin O'Connor, no domingo.

"A tomografia computadorizada de acompanhamento confirmou fraturas (pequenas) nos ossos laterais e intermediários do presidente eleito Biden, que estão no meio de seu pé. A previsão é que ele, provavelmente, precisará de uma bota de caminhada por várias semanas."

Leia também:
Condados do Wisconsin encerram recontagem e confirmam vitória de Biden
Biden e Kamala receberão primeiro relatório diário presidencial nesta segunda

O presidente-eleito dos Estados Unidos, Joe Biden
Foto: REUTERS


No domingo anterior, o escritório de Biden anunciou que ele seria examinado por um ortopedista "por excesso de cautela" após torcer o tornozelo brincando com o cachorro.

Biden, que comemorou seu 78º aniversário em 20 de novembro, será o presidente mais velho da história dos Estados Unidos.

Durante a campanha, a campanha de Biden divulgou um resumo do histórico médico de Biden, que mostrava que o ex-vice-presidente estava saudável e apto para a presidência.

O comunicado incluiu os resultados de um exame físico feito por O'Connor, médico da atenção primária de Biden desde 2009, e diretor de medicina executiva do The George Washington Medical Faculty Associates.

Na época, O'Connor escreveu que Biden é "um homem de 77 anos de idade, saudável e vigoroso, que está apto para executar com sucesso os deveres da Presidência".

A família Biden tem dois cães, Major e Champ, ambos pastores alemães.

Major foi adotado da Delaware Humane Association em novembro de 2018. Já Champ juntou-se à família Biden durante a transição presidencial em dezembro de 2008, semanas após Biden se tornar vice-presidente eleito.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)