Secretário de Saúde dos EUA diz que vacinação pode começar na próxima segunda

Alex Azar afirmou que processo está nas últimas fases e que espera início da vacinação na próxima semana

Naomi Thomas, da CNN
11 de dezembro de 2020 às 11:07 | Atualizado 11 de dezembro de 2020 às 14:32
Vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Pfizer-Biontech
Foto: Dado Ruvic - 10.nov.2020/Reuters

O Secretário de Saúde dos Estados Unidos, Alex Azar, anunciou que a agência de Administração de Medicamentos e Alimentos (FDA, na sigla em inglês) está perto de autorizar a vacina contra a Covid-19 dezenvolvida pela Pfizer.

“Há pouco tempo, a FDA informou à Pfizer que pretende seguir rumo à autorização para sua vacina”, informou Azar nesta sexta-feira (11), durante uma entrevista no canal americano ABC.

"Outros passos importantes ainda permanecem, mas se esses obstáculos forem superados, as primeiras vacinações nos EUA podem acontecer já na segunda ou terça-feira", disse Azar à ABC.

À CNN, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA (HHS, na sigla em inglês) confirmou que o secretário se referia a um tweet postado na manhã desta sexta, com link para um comunicado da FDA, assinado pelos doutores Stephen Hahn e Peter Marks, diretores do órgão.

Leia e assista também:

Vacina contra Covid-19 diminuirá possibilidade de reinfecção, diz especialista

AstraZeneca fará estudo com vacina de Oxford combinada com a Sputnik V

Pessoas chave envolvidas no processo de decisão sobre a vacina foram orientadas a aguardar que a FDA emita a autorização de emergência no sábado (12), segundo fonte do governo federal próxima à situação. A mesma fonte advertiu que tudo é possível, inclusive que a decisão possa chegar ainda nessa sexta.

No momento, a agência trabalha com a Pfizer organizando informações necessárias para que médicos possam prescrever a vacina adequadamente.

Uma vez que a FDA autorizar a vacinação, a Operação Warp Speed - inciativa do governo federal americano para o desenvolvimento de uma vacina - pode começar a distribuir o imunizante aos estados. Mas a aplicação na população não será iniciada até que um comitê do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) recomende seu uso e o CDC acate tal recomendação.

O comitê do CDC tem reunião marcada para essa sexta e deverá votar sobre a recomendação da vacina no domingo.

Azar disse que irá trabalhar com a Pfizer na distribuição da vacina “para que possamos ver as pessoas sendo vacinadas na segunda, terça-feira da próxima semana”.

Governadores americanos estão organizando os grupos prioritários de cada estado. É esperado que os profisionais de saúde e pessoas mais vulneráveis, como residentes de instituições de longa permanência, sejam os primeiros da fila.