Manifestantes anti e pró-Trump entram em confronto nos EUA; 4 são esfaqueados

Horas antes, a cidade foi palco do protesto Stop the Steal (Parem de Roubar), promovido por pessoas que alegam, sem evidências, que as eleições foram roubadas

Da CNN
13 de dezembro de 2020 às 05:37 | Atualizado 14 de dezembro de 2020 às 08:22
Momento em que os grupos anti e pró-Trump se encontraram
Foto: Reprodução - 12.dez.2020 / Nick U via Reuters

Cerca de 200 manifestantes do grupo pró-Donald Trump “Proud Boys” entraram em confronto com militantes antigoverno na noite desse sábado (12) nos arredores de Washington, D.C.. 

A polícia local informou que ao menos quatro pessoas foram esfaqueadas durante os confrontos. O estado de saúde delas é grave. Outras cinco pessoas sofreram ferimentos leves, incluindo dois policiais.

Um vídeo obtido pela agência de notícias Reuters mostrou o momento de tensão entre o grupo de extrema direita e os manifestantes antigoverno, com os membros do Proud Boys atirando garrafas de vidro.

Assista e leia também:
1ª dose da vacina da Pfizer será aplicada nos EUA em menos de 24 h, diz Trump
Suprema Corte dos EUA rejeita aposta de Trump por reviravolta nas eleições
EUA ultrapassam marca de 16 milhões de casos de Covid-19

“As coisas ficaram tensas por um momento”, disse uma das testemunhas no Twitter, que gravou o ocorrido. “Depois, os policiais formaram uma corrente e dividiu os dois lados.”

Horas antes, a cidade foi palco do protesto Stop the Steal (Parem de Roubar). De acordo com o prefeito, ao menos 33 pessoas foram presas durante as manifestações.

Grupos conservadores alegam, sem evidências, que as eleições presidenciais de 3 de novembro foram roubadas e a vitória, tirada de Trump. Com isso, eles veem organizando protestos em estados-chave em busca de invalidar a contagem de votos.

(Com informações de Lauren Koenig, da CNN Internacional, e Reuters)