Covid-19: Alemanha vai adotar medidas de restrição mais duras a partir de quarta

As medidas incluem fechar a maior parte das lojas a partir de quarta-feira até 10 de janeiro

Pedro Teodoro*, da CNN Brasil
13 de dezembro de 2020 às 07:46 | Atualizado 14 de dezembro de 2020 às 07:29

 


A chanceler alemã, Angela Merkel, disse neste domingo (13) que os governos estaduais e federal concordaram em estabelecer medidas de restrição de circulação (lockdown) mais duras para tentar diminuir a curva de contaminação do novo coronavírus.

As medidas incluem fechar a maior parte das lojas a partir de quarta-feira (16) até 10 de janeiro. Também concordaram que as escolas devem permanecer fechadas durante esse período.

Somente estabelecimentos considerados essenciais pelo governo alemão, como mercados, farmácias e bancos, por exemplo, poderão permanecer abertos.  

As empresas estão orientadas a dispensar os funcionários ou a priorizar o trabalho remoto. O governo alemão também proibiu o consumo de bebidas alcóolicas em locais públicos para evitar aglomerações e a venda de fogos de artifício para o réveillon 2020. 

Leia também:
Quais países já começaram a vacinação contra a Covid-19 e quais são os próximos
Veja quais são as fases de distribuição da vacina de acordo com plano do governo

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel
Foto: Michael Kappeler/Reuters


Com o intuito de conter o prejuízo econômico provocado pelo fechamento em massa, o ministro da fazenda alemão, Olaf Scholz, afirmou que irá oferecer apoio financeiro às empresas. 

A Alemanha está em lockdown parcial há cerca de seis semanas, com bares e restaurantes fechados, mas lojas e escolas continuavam abertas.  

Somente nas últimas 24 horas, de acordo com a Reuters, o país contabilizou mais de 20.200 novas infecções pela doença. Até o momento, segundo a Universidade Johns Hopkins, o país tem mais de 1,32 milhão casos confirmados da Covid-19 e 21 mil mortes.

(Com supervisão de Ludmila Candal e informações da Reuters)