'Urso caído': a verdadeira história do predador mortal na Austrália

A lenda do "urso-caído" como é chamada pelos australianos é um conjunto de lendas. Nenhum indício do animal foi encontrado

Ben Westcott, da CNN
19 de dezembro de 2020 às 06:49

 

O "urso caído", criatura mítica da Austrália
Foto: CNN/ Reprodução

 

Pergunte a qualquer australiano sobre o drop bear, ou urso-caído, e ele provavelmente contará um encontro próximo com este primo carnívoro e com presas do coala australiano. A testemunha pode descrever como um parente foi gravemente ferido durante um ataque do urso-caído, ou alegar que um amigo escapou por pouco da morte nas mãos do carnívoro cruel.

E todo mundo estará mentindo. O urso-caído não existe. Muitos países têm uma criatura que dizem existir, mas nunca é vista: dragões, ietis e o monstro de Loch Ness. Mas, com o urso, há uma reviravolta.Nenhum australiano realmente acredita que ele existe: o animal é usado apenas para assustar as pessoas, normalmente estrangeiros.

Leia e assista também:
Réveillon em NY: Airbnb terá hospedagem em domo de vidro no alto da Times Square


Veja como geralmente funciona: um turista está prestes a entrar no mato quando um australiano o avisa para “tomar cuidado com os ursos-caídos”. Quando o visitante perguntar o que é isso, vai ouvir que é uma criatura cruel com garras que cai inesperadamente das árvores.

“As pessoas começam a olhar para o alto das árvores, apreensivas”, disse Ian Coate, autor e fundador do site Mythic Australia. “É uma reação linda, que apela ao senso de humor australiano”.

Mas alguns australianos levaram sua fraude animal a um nível totalmente novo. O Museum of Australia criou uma página de informações falsas em seu site, que avisa dos perigos desses animais fictícios.

“Assim que a presa estiver à vista, o urso-caído cairá até oito metros para saltar sobre a vítima desavisada. O impacto inicial geralmente atordoa a presa, permitindo que ela seja mordida no pescoço e rapidamente subjugada”, escreveu o site.

Até mesmo algumas celebridades australianas entraram na piada. Quando a CNN Travel pediu ao ator australiano Chris Hemsworth conselhos sobre como evitar ursos-caídos em 2018, ele disse: “Traga um guarda-chuva”.

Apesar da popularidade do urso-caído e de sua crescente reputação internacional, suas verdadeiras origens são desconhecidas.

A lenda do animal não parece ter sido criada em algum livro ou filme popular em particular, por exemplo. De acordo com a Biblioteca Nacional da Austrália, a primeira aparição de um urso-caído em um jornal australiano é um anúncio inócuo no “The Canberra Times”, o jornal da capital nacional, em 1982.

“TAM - Cuidado com os ursos-caídos no futuro, com certeza, com muito amor Clint”, dizia a mensagem na coluna 21st Birthdays. Não está claro quem foram TAM ou Clint.

Alguns acham que a lenda tem a ver com um quadro do lendário comediante e ator australiano Paul Hogan (mais conhecido pelos estrangeiros como Crocodile Dundee), em seu programa de televisão “The Paul Hogan Show”, que foi ao ar nas décadas de 1970 e 80.

Em uma cena, Hogan está interpretando uma paródia de Indiana Jones chamada “Cootamundra Hoges”, que explora o fictício "Vale de Goannas" quando é atacado por coalas assassinos.

Os coalas saltam das árvores e começam a atacar Hogan, que cai no chão coberto por eles. Mas Coate, do site Mythic Australia, disse que se lembrava de seu líder escoteiro contando histórias de ursos-caídos no início dos anos 1970, antes de Hogan ir ao ar.

“Quando a gente acampava, usavam a história do velho urso-caído para que ninguém fosse para muito longe do acampamento”, contou, acrescentando que lhe disseram que se fosse para o mato, “os ursos-caídos iam me pegar”.

Parece que, embora o urso-caído tenha se tornado um conto para assustar os turistas, é quase certo que ele surgiu como uma simples história de fantasmas usada para assustar as crianças australianas. Nem todo australiano cresceu com lendas desses animais, mas aqueles que se lembram dizem que os causos eram contados por seus pais, especialmente pessoas que cresceram no campo ou em comunidades agrícolas.

Coate disse que alguns dos primeiros visitantes da Austrália a ficarem assustados com o urso-caído podem não ter sido turistas.

Quando Coate estava no exército no final dos anos 1980, como parte do corpo de pesquisa, ele disse que às vezes visitava soldados do Reino Unido e dos EUA fazendo exercícios na selva australiana – e eles sempre perguntavam como evitar as famosas cobras e aranhas perigosas da Austrália.

“Os australianos respondiam para esquecer as cobras e as aranhas, e se preocupar com os ursos que caem das árvores”, contou Coate. Ele se lembra de ter dito aos soldados visitantes que a única maneira de manter os ursos afastados era passar o condimento australiano Vegemite, um tipo de pasta de sabor forte, em seus rostos.

“Invariavelmente, nossos soldados australianos jogavam para o soldado visitante um pote de Vegemite e levaria alguns dias para perceber que eles passavam Vegemite no rosto e não estava acontecendo nada”, lembrou, rindo.

The Drop Bears

Há, no entanto, um indicador claro de quando os míticos ursos-caídos começaram a entrar na cultura pop australiana.

Em 1981, o baixista Chris Toms e seu amigo neozelandês Johnny Batchelor formaram uma banda em Sydney com um som pop melódico pós-punk. Depois de algumas discussões, eles decidiram chamar o grupo de The Drop Bears, os ursos-caídos.

Batchelor lembra que, até chegar à Austrália da Nova Zelândia, nunca tinha ouvido falar da criatura mítica, mas se lembrou de Toms, que cresceu na zona rural do estado de New South Wales, descrevendo-a como um pouco como uma história de fantasmas australiana.

“Ele disse que era uma história que as pessoas contavam para assustar, para contar para crianças e tal. Que é preciso ter cuidado ou o urso-caído vai descer e levar você”, disse Batchelor.

Eles concordaram com o nome, mas Batchelor disse que rapidamente se cansou disso. Quando começaram a visitar estações de rádio em toda a Austrália para promover sua música, ele disse que a primeira pergunta era quase sempre a mesma: “o que é um urso-caído?”

Enquanto a banda Drop Bears tentava obter mais sucesso, Batchelor disse que o nome se tornou um “albatroz ao redor do nosso pescoço”. “Parecia um fardo, parecia que não era o que queríamos ser”, conta.

Batchelor disse que acha que a popularidade do fenômeno do urso-caído não está ligada apenas ao senso de humor australiano, mas também ao orgulho que o país tem de seus animais perigosos.

Mesmo sem os ursos de mentira, a Austrália é famosa por suas criaturas mortais verdadeiras, incluindo uma grande variedade de tubarões, cobras e duas das aranhas mais venenosas do mundo.

“Eles gostam de impressionar as pessoas do exterior com seus animais perigosos. Acho que agora se trata menos de contar às crianças e mais de ter cuidado com o viajante”.

A ascensão do urso-caído

Se a banda Drop Bears tivesse sido formada apenas 20 anos depois, não teria que explicar seu nome com tanta frequência. Na era da internet, o mito do urso-caído só cresceu em popularidade.

Em janeiro de 2020, de acordo com o Google Trends, as pesquisas pelo termo “drop bear” ultrapassaram tanto as do monstro de Loch Ness quanto as do lebrílope americano em termos de popularidade de criaturas fictícias.

As citações na mídia e na cultura australiana ajudaram a popularizar o mito. Em 2004, a bebida Bundaberg Rum lançou um anúncio no qual um grupo de australianos tenta puxar conversa com algumas atraentes mochileiras alemãs, alertando-as sobre o predador mortal.

Em 2013, a importante revista especializada em natureza “Australian Geographic” publicou um artigo do dia da mentira intitulado “Ursos-caídos atacam turistas, diz estudo”.

Recentemente, em janeiro de 2020, uma jornalista da ITV britânica viralizou ao ser vítima de uma pegadinha em uma reserva natural australiana, durante o qual ela estava vestida com pesados equipamentos de proteção antes de receber um “urso-caído” para segurar. Era apenas um coala.

Foi só depois que a jornalista visivelmente nervosa entregou o coala de volta que ficou claro que ele era apenas um animal normal e não um predador mortal.

Com a lenda do urso-caído sendo mencionada em sites de viagens, a piada nacional da Austrália para o mundo está se espalhando mais rápido do que nunca. Mas, apesar de não ser um fã de sua estreita associação com o falso predador, o cofundador do Drop Bears Batchelor disse que talvez o mito tenha perdido um pouco de seu impacto à medida que se torna mais conhecido.

“Você vê tanta coisa na internet que tudo pode ficar sem graça. Quando alguém está contando pessoalmente uma história divertida e de medo sobre alguma criatura assustadora, é bem mais real”, disse ele.

Além disso, em uma reviravolta irônica, surgiu recentemente a sugestão de que pode ter havido um predador mortal na Austrália que caía das árvores para atacar suas presas.

Evidências arqueológicas apontam para um leão marsupial pré-histórico, chamado thylacoleo carnifex, que viveu e caçou na Austrália há milhares de anos, e possivelmente tinha a habilidade de escalar e pular de árvores. Alguns sugeriram que essa é a verdadeira origem do mito do urso-caído.

Coates, do site Mythic Australia, agora escreve livros para crianças sobre o urso para ajudar a encorajar os jovens australianos a se orgulharem de suas lendas nacionais. Para ele, o objetivo da lenda do urso-caído não é apenas assustar as pessoas, mas sim juntá-las.

“É divertido porque ajuda a construir um relacionamento, significa que duas pessoas estão compartilhando a piada. É aquele jeito australiano de rir e trazer as pessoas para uma piada e tornar a situação leve”, concluiu.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)