Processo de Trump deve ser adiado em 15 dias para Biden trabalhar, diz professor

Professor doutor em relações internacionais, Geraldo Zahra falou à CNN sobre o processo de impeachment de Donald Trump nos EUA

Da CNN, em São Paulo
25 de janeiro de 2021 às 08:39


A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos deve entregar o impeachment de Donald Trump ao Senado nesta segunda-feira (25).

Professor doutor em relações internacionais, Geraldo Zahran explicou à CNN que democratas e republicanos entraram em acordo para retomar o processo no dia 8 de fevereiro, período em que defesa e acusação terão para se preparar para o julgamento.

"O pedido de impeachment será encaminhado hoje, mas o julgamento não vai começar pelo menos pelas próximas duas semanas. Isso foi um acordo feito entre governo e oposição, que também tinha o interesse em deixar Trump montar uma defesa", disse Zahran. "Isso deve ser esticado pelos próximos 15 dias para deixar o governo Biden trabalhar um pouco."

Nesse período inicial do mandato de Joe Biden, Zahran afirmou que o foco do democrata será no combate à pandemia de Covid-19 e na proposta do pacote de auxílio econômico à população afetada.

Dias antes de assumir a presidência, Biden anunciou uma proposta de cerca de US$ 1,9 trilhão para ajudar a economia americana a se recuperar dos efeitos da pandemia. Além disso, Biden prometeu um novo plano que vacinará 100 milhões de americanos em 100 dias.

Enquanto Biden se mantém ocupado, Donald Trump precisará entrar em acordo com senadores republicanos para evitar que seus direitos políticos sejam cassados.

"Existe uma parcerla do partido Republicano que não reconhece a liderança de Trump, não gosta do estilo de política que ele imprimiu ao partido, e pode haver alguma adesão de senadores republicanos no julgamento no Senado. É dificil, mas ainda pode haver essa possibilidade", avaliou Zahran.

Presidente Donald Trump discursa durante visita ao Texas, nos Estados Unidos
Foto: CNN (12.jan.2021)