Pessoas 'totalmente vacinadas' podem dispensar quarentena, afirma órgão dos EUA

CDC pondera, no entanto, que orientação não valerá para vacinados há mais de 3 meses; entidade também não vai dispensar uso de máscara

Da CNN, em São Paulo*
10 de fevereiro de 2021 às 23:45
Idosos se vacinam às pressas nos Estados Unidos após quebra de refrigerador
Idosos se vacinam às pressas nos Estados Unidos após quebra de refrigerador (30.jan.2021)
Foto: Reprodução / CNN

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos afirmou nesta quarta-feira (10) que pessoas "totalmente vacinadas" não precisarão mais fazer quarentena obrigatória caso tenham contato com pessoas infectadas pela Covid-19.

"Pessoas totalmente vacinadas que se encaixem no critério não serão mais demandadas a ficar em quarentena após serem expostas a alguém com a Covid-19", publicou o CDC em uma nova atualização técnica das suas recomendações para a vacinação.

Por pessoas "totalmente vacinadas", o órgão americano considera aquelas que tenham recebido as duas doses de uma das duas vacinas aprovadas e distribuídas no país: a da Pfizer/BioNTech e a da Moderna.

O "critério" acima é que, além de ter recebido as duas doses, essa dispensa da quarentena só valerá em um curto período após a imunização completa. A pessoa deve estar vacinada a pelo menos duas semanas, tempo para a produção de anticorpos, mas não mais do que três meses, uma vez que "não se sabe quanto tempo a proteção dura".

A orientação oficial ainda diz que as pessoas vacinadas devem seguir utilizando máscaras de proteção individual. A razão é que, apesar de possuírem uma proteção contra a Covid-19, podem carregar o novo coronavírus na garganta e nas narinas e eventualmente seguir sendo um vetor de transmissão da doença.

Com informações de Maggie Fox, da CNN