UE altera contratos para obter vacinas da Covid-19 que contenham variantes

A União Europeia adicionou cláusulas aos contratos com as farmacêuticas para garantir que imunizantes eficazes contra variantes sejam adquiridos pelo bloco

Da Reuters, em Bruxelas
16 de fevereiro de 2021 às 14:07
Ampolas com vacina para Covid-19 da Sinovac em Pequim
Ampolas com vacina para Covid-19 da Sinovac em Pequim
Foto: Thomas Peter/Reuters (24.set.2020)

 

A União Europeia está adicionando cláusulas aos contratos com as fabricantes de vacinas contra a Covid-19 que permitiriam ao bloco obter acesso a possíveis imunizantes que ofereçam melhor proteção contra variantes do vírus, disseram três autoridades do bloco envolvidas nas negociações com as farmacêuticas.

Mais mutações contagiosas estão se espalhando rapidamente na UE e em todo o mundo, com a chamada variante britânica considerada por especialistas em saúde como a provável mutação prevalente no continente.

 

Os fabricantes estão testando suas vacinas contra as variantes e também trabalhando em ajustes que possam torná-las mais eficazes contra as mutações do vírus.

A cláusulas permitirão que a UE evite comprar vacinas que não sejam eficazes contra variantes generalizadas, segundo uma fonte que acompanha a negociação. No entanto, a fonte disse que as cláusulas eram vagas sobre a definição das variantes e o real poder legal que seria dado à UE.

Uma cláusula anti-variante foi incluída em um segundo contrato finalizado em fevereiro com a Pfizer/BioNTech para o fornecimento de 300 milhões de doses adicionais de sua vacina contra Covid-19.

A Pfizer e a Comissão Europeia não responderam aos contatos da reportagem.