China intensifica vacinação contra Covid-19 e considera visto por imunização

O país está utilizando quatro imunizantes para a campanha de vacinação, todas produzidas nacionalmente, e busca forma de facilitar o acesso de estrangeiros

Da Reuters, em Pequim
21 de março de 2021 às 13:27
Chile utilizará a Coronavac, importada de Pequim, para iniciar vacinação em mass
Chile utiliza a Coronavac para vacinação em massa
Foto: Thomas Peter/Reuters

A China acelerou a vacinação contra Covid-19 no país, administrando 10 milhões de doses em cerca de uma semana, e considera adotar políticas de vistos com base na vacinação e nas condições do vírus em diferentes países, disseram autoridades no domingo (21).

O país administrou 74,96 milhões de doses de vacina até o sábado (20), disse o porta-voz da comissão de saúde, Mi Feng, em uma coletiva de imprensa — uma diferença de 64,98 milhões de aplicações em comparação a 14 de março, apenas seis dias antes.

A China pretende vacinar 40% de seus 1,4 bilhão de habitantes até o meio do ano, de acordo com a mídia estatal e um importante consultor de saúde. A China foi um dos primeiros países a começar a administrar vacinas no ano passado e tem exportado milhões de doses, mas sua taxa de vacinação está atrás de países como Israel e Estados Unidos.

Mais de 70 milhões de doses da injeção da Sinovac Biotech foram administradas globalmente, disse um porta-voz da empresa em entrevista coletiva, sem especificar quantas delas foram administradas na China.

Política de vistos

Pequim está considerando políticas diferenciadas para emissão de vistos, voos e controles sobre o número de pessoas que chegam à China com base no progresso da vacinação e nas situações da Covid-19 em diferentes países.

“Não isentamos as pessoas vacinadas de testes e medidas de isolamento por enquanto”, disse Feng Zijian, vice-diretor do Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças (China CDC).

Entretanto, afirmou que a China prestará atenção ao progresso internacional no desenvolvimento de “passaportes para vacinas” e pode ajustar as medidas de contenção do vírus após a população doméstica atingir um alto nível de imunização.

A produção anual de vacinas da China pode atender plenamente às necessidades de todo o país, de acordo com o funcionário do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, Mao Junfeng.

Ele disse que o fornecimento de materiais para a produção de vacinas, incluindo frascos de vidro e seringas, é “relativamente estável”.

Países com altas proporções de idosos devem ser priorizados para vacinação, disse Wu Zunyou, epidemiologista chefe do China CDC.

Se todos os países avançarem com seus programas de vacinação no mesmo ritmo, é possível que cada país alcance apenas 10% ou 30% de imunidade, o que não é suficiente para proteger a população, explicou Wu no Fórum de Desenvolvimento da China em Pequim na noite de sábado.

“Precisamos atingir entre 70% e 80% de imunização em um país o mais rápido possível, depois em um segundo país e, em seguida, em um terceiro”, disse Wu.

A China aprovou quatro vacinas desenvolvidas localmente para uso público geral: Sinovac, CanSino Biologics e duas unidades do China National Pharmaceutical Group (Sinopharm).

Uma quinta vacina desenvolvida pelo Instituto de Microbiologia da Academia Chinesa de Ciências foi aprovada para uso emergencial na semana passada.