Como o príncipe Harry conseguiu o novo emprego em startup de saúde mental

O duque de Sussex será diretor de impacto da BetterUp

Julia Chatterley e Ramishah Maruf, do CNN Business
24 de março de 2021 às 18:12 | Atualizado 24 de março de 2021 às 19:01
Príncipe Harry será executivo em startup de tecnologia na Califórnia
Príncipe Harry será executivo em startup de tecnologia na Califórnia
Foto: WPA Pool - 6.mar.2020/ Getty Images

O príncipe Harry encontrou um novo emprego: o duque de Sussex juntou-se a uma startup chamada BetterUp, que fornece serviços de saúde mental e treinamento para clientes online. Seu cargo será o de chief impact officer, algo como diretor de impacto.

O anúncio do emprego veio semanas depois da entrevista bombástica que ele e a esposa Meghan Markle deram a Oprah Winfrey, na qual eles falaram sobre as questões relacionadas a saúde mental que acompanhavam a vida na realeza.

A âncora da CNN Internacional Julia Chatterley falou com o CEO da empresa, Alexi Robichaux, sobre o papel de Harry na BetterUp e a missão da empresa.

A WarnerMedia, empresa controladora da CNN Internacional, é cliente da BetterUp.

Explique a missão da empresa, por favor. Uma academia para saúde mental, o que isso significa?

Robichaux: A maneira mais fácil de pensar sobre a BetterUp é que estamos pegando o que tradicionalmente foi pensado como coaching competitivo e colocando isso nos bolsos dos trabalhadores e profissionais em todo o mundo. Somos uma plataforma móvel que conecta indivíduos com serviços de coaching individual, dedicados a liderança, sono, nutrição e paternidade. Eles fazem isso por chat de vídeo e mensagem de texto, com as facilidades de um telefone.

Vocês dizem que a plataforma é baseada em inteligência artificial. O que isso significa na prática?

Robichaux: Você pode pensar no eHarmony (site de namoro). Usamos aprendizado de máquina e inteligência artificial para ajudar a encontrar os treinadores adequados para você. Analisamos 120 variáveis a partir dos dados que você nos fornece por meio de um questionário rápido. É natural, confortável, eletrizante e seguro.

Alexi Robichaud, CEO da BetterUp
Alexi Robichaud, CEO da BetterUp
Foto: Divulgação/BetterUp

Então, explique o papel do Príncipe Harry. O que faz um diretor de impacto?

Robichaux: Chegamos ao título juntos. Estávamos organicamente tendo essas conversas sobre como a missão da BetterUp é maior do que a BetterUp. Ele tem feito esse trabalho em sua própria vida há anos. Podemos mudar a ideia de saúde mental como ausência de doença mental para algo como desempenho e realização de seu potencial. Esse é um enorme impacto global do qual a BetterUp pode fazer parte. Ele pode nos conferir credibilidade e acelerar isso, expandindo nossa comunidade no mundo, alcançando e influenciando tudo, desde nossa experiência com produtos até ajudar a estabelecer parcerias com empresas e organizações globalmente para expandir nosso impacto para todo o mundo.

O que há em sua experiência e currículo que faz você acreditar que ele é a pessoa certa para essa função?

Robichaux: Em primeiro lugar, é quem ele é como pessoa. Fiquei muito impressionado com seu desejo genuíno e sincero de servir e causar um impacto positivo no mundo. Em segundo lugar, ele fez o trabalho da Heads Together para o jogo Invictus. Ele tem um histórico incrível relacionado a essa missão de preparação mental. Muito antes de termos a oportunidade de conhecê-lo, sempre sonhei acordado que talvez tivéssemos a sorte de trabalhar com alguém como ele, que tem sido um dos principais nomes do mundo em saúde mental. Não poderíamos ter pensado em alguém melhor para este papel e estamos muito felizes em trabalhar com ele.

Os críticos vão olhar para isso e dizer que é uma estratégia de relações públicas. Quando você olha para a entrevista de Oprah Winfrey, você se preocupa que ele possa ser uma distração para o negócio em geral?

Robichaux: Uma coisa é certa, vamos fazer o trabalho de relação públicas, mas não é por isso que começamos a trabalhar com o Príncipe Harry. Sua percepção e experiências singulares são difíceis de expressar em palavras. É aí que estamos focados e pensamos a função dele.

Quanto o Príncipe Harry vai receber?

Robichaux: Como você pode imaginar, não divulgamos a remuneração de ninguém, então não podemos comentar isso.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)