China intensifica vacinação no país e atrasa entrega dos insumos da Coronavac

Disputa com Estados Unidos seria uma das motivações para país asiático buscar aumentar imunização diária

Lourival Sant'Anna
Por Lourival Sant'Anna, CNN  
07 de abril de 2021 às 23:20 | Atualizado 07 de abril de 2021 às 23:21

A China decidiu priorizar a vacinação contra a Covid-19 no país para superar os números atingidos pelos Estados Unidos, que alcançaram 4 milhões ao dia. A meta é imunizar 40% da população até junho, o que daria 5 milhões de chineses por dia.

Esta seria a principal razão para a aparente trava na exportação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), insumo essencial para a fabricação de vacinas contra a Covid-19 em outros países -- é o caso do Brasil, que vacina a sua população com dois imunizantes, o de Oxford e o da Coronavac, que depende do ingrediente importado.

Nesta quarta-feira (7), o Instituto Butantan suspendeu a produção de novas doses da Coronavac diante da falta de insumos.

Até recentemente, a China tinha preferido fazer a "diplomacia da vacina", ao utilizar sua ampla capacidade de produção dos insumos como ferramenta de aumentar a sua influência política internacional. A avaliação de momento no país é que é preciso ampliar ainda mais a capacidade, para dar conta da demanda interna e externa.

Os chineses tinham se dado ao luxo de colocar a vacinação interna em segundo plano por vir de meses praticamente sem registro de novos casos da Covid-19. Apesar de parecer um número baixo em comparação com o Brasil, que confirmou mais de 92 mil novos casos nas últimas 24 horas, os 32 casos novos registrados na última segunda-feira (5) alarmaram o país.

Frascos com a vacina CoronaVac
Frascos com a vacina CoronaVac
Foto: Amanda Perobelli/Reuters (22.jan.2021)

Além da questão logística, a China também está empreendendo uma mobilização do país para aumentar a vacinação, pois a população não se sente incentivada a tomar a vacina, já que a doença já não faz parte do dia a dia há meses. As autoridades municipais estão oferecendo brindes como ovos e vouchers de compras em supermercado para estimular a imunização.