Agressor mata funcionária da polícia a facadas em cidade perto de Paris

Homem de nacionalidade tunisiana morava na França com documentos legítimos e não estava em lista das agências de segurança do país; promotor fala em terrorismo

Reuters
23 de abril de 2021 às 13:27 | Atualizado 23 de abril de 2021 às 13:29
Policiamento foi reforçado após agressor matar funcionária da polícia na França
Policiamento foi reforçado após agressor matar funcionária da polícia em cidade francesa
Foto: Reuters

Um agressor matou esfaqueada uma funcionária administrativa da polícia na entrada de uma delegacia em Rambouillet, uma cidade de classe média perto de Paris, nesta sexta-feira (23).

O promotor antiterrorismo da França disse que lidera a investigação e o primeiro-ministro Jean Castex disse que o caso tratou-se de um ataque terrorista.

"A França perdeu uma de suas heroínas cotidianas em um gesto bárbaro de covardia infinita", disse Castex na cena do ataque, em Rambouillet, que fica a cerca de 50 quilômetros da capital francesa.

A mulher foi esfaqueada na garganta, disseram duas fontes da área de segurança. O agressor foi morto a tiros por policiais, disse uma das duas fontes.

O agressor era de nacionalidade tunisiana e residia na França com documentos legítimos. Ele não estava nas listas das agências de segurança da França, acrescentou uma terceira fonte de segurança.

A França sofreu uma onda de ataques de militantes islâmicos ou indivíduos de inspiração islâmica nos últimos anos, que resultaram na morte de cerca de 250 pessoas.

O ataque desta sexta-feira ocorreu  seis meses depois que um adolescente islâmico decapitou um professor em Conflans, outra cidade satélite de Paris.

As questões relacionadas a extremismo religioso, segurança doméstica e noções de identidade francesa são provavelmente questões importantes nas eleições presidenciais do próximo ano.