Pandemia avança e sistema de saúde na Argentina fica perto do colapso

Segundo a Sociedade Argentina de Leitos de UTI, ocupação média de leitos de tratamento intensivo no país está acima de 95%

Diego Rezende, da CNN, em Buenos Aires
03 de maio de 2021 às 22:14 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 22:27

A Argentina teve um de seus piores dias durante a pandemia de Covid-19 nesta segunda-feira (3). De acordo com números oficiais, o país teve 11 mil novos casos da doença e 156 mortes por causa do novo coronavírus.

A piora da pandemia no país já começa a afetar o sistema de saúde local, que opera no limite e pode entrar em colapso nos próximos dias.

Segundo a Sociedade Argentina de Leitos de UTI, a ocupação média de leitos de tratamento intensivo no país está acima de 95%, com alguns hospitais da rede privada de Buenos Aires já em colapso. 

Por conta da piora da pandemia, o presidente argentino, Alberto Fernandez, prorrogou por mais três semanas o toque de recolher nacional que vai das 20h até as 6h e a proibição de aulas presenciais. O presidente diz querer evitar medidas mais duras como o lockdown neste momento.

Segundo especialistas, a saída para a Argentina é acelerar sua campanha de vacinação. Até o momento, 8 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no país, o equivalente a 15% da população local. Buenos Aires vai começar nesta semana a vacinação de pessoas com mais de 60 anos.

Casa Rosada, em Buenos Aires, na Argentina
Foto: Reuters