Domo de ferro de Israel não persegue todos os foguetes que intercepta; entenda

O sistema antimísseis israelense identifica quais ataques representam maior ameaça para áreas urbanas; atualmente, o domo também intercepta drones e morteiros

Tim Lister, CNN
19 de maio de 2021 às 09:15 | Atualizado 19 de maio de 2021 às 09:48
Sistema antimísseis de Israel intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza 10/0
Sistema antimísseis de Israel intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza 10/05/2021
Foto: Amir Cohen/Reuters

Nos últimos nove dias, milhares de foguetes foram disparados de Gaza em direção ao território israelense. E todos os dias eles são recebidos por mísseis do sistema de defesa de Israel chamado de "domo de ferro". 

"O Sistema de Defesa Aérea Iron Dome tem um propósito: interceptar foguetes no ar antes que eles possam matar civis israelenses. Não vamos nos desculpar por salvar vidas", disse as Forças de Defesa de Israel (IDF) nesta terça-feira (18).

Os militares israelenses dizem que esses mísseis do sistema interceptam mais de 90% dos foguetes alvejados. Mas o domo de ferro não persegue todos os foguetes que intercepta. Na verdade, de acordo com dados oficiais do IDF, o sistema destruiu menos da metade dos foguetes e morteiros disparados pelo Hamas e pela Jihad Islâmica.

No final do último domingo, a Força Aérea Israelense disse que aproximadamente 3.100 foguetes foram disparados de Gaza desde o início do último conflito, há pouco mais de uma semana. Cerca de 450 não conseguiram penetrar em Israel. Dos 2.650 restantes, cerca de 1.210 foram interceptados.

Devido ao grande volume de foguetes disparados de Gaza, o domo de ferro "decide" qual representa a maior ameaça para as áreas urbanas, ignorando aqueles cuja trajetória indica que eles provavelmente atingirão áreas despovoadas ou o mar. As Forças de Defesa de Israel avaliam que havia até 14 mil foguetes em Gaza antes do início dessa escalada. A seleção, portanto, se torna crítica, mas alguns dos foguetes são interceptados com sucesso.

Em uma sessão do Conselho de Segurança das Nações Unidas no último domingo, Tor Wennesland, coordenador especial da ONU para o processo de paz no Oriente Médio, observou que os foguetes alcançaram "até os arredores de Jerusalém, Tel Aviv e seus subúrbios e o aeroporto Ben Gurion".

"Ataques diretos foram relatados em vários locais, causando danos a propriedades residenciais e comerciais, bem como escolas e um oleoduto de petróleo bruto", disse Wennesland. Até agora, a escalada de violência foi responsável por pelo menos 12 mortes dentro de Israel.

Sistema de defesa aérea de Israel intercepta foguetes disparados pelo movimento islâmico palestino Hamas de Gaza
Foto: Mohammed Talatene/picture alliance via Getty Images

Sistema opera há 10 anos em Israel

O domo de ferro, desenvolvido pela empresa israelense Rafael Advanced Defense Systems e pela empresa americana Raytheon, entrou em operação há 10 anos. 

O sistema Inclui radar para detectar os foguetes, um sistema de comando e controle que analisa os dados fornecidos pelo radar; e os mísseis de defesa aérea que são então direcionados para interceptar. 

Cada míssil custa cerca de US$ 40 mil (R$ 210 mil), portanto, interceptar 1.200 foguetes é uma proposta muito cara.

Enquanto muitos sistemas de defesa aérea são projetados para conter mísseis balísticos, o domo de ferro tem como alvo foguetes não guiados que permanecem em baixas altitudes. O sistema é eficaz até um alcance de 70 quilômetros (cerca de 43 milhas). 

Ao mesmo tempo, os militares israelenses tentam localizar e destruir os lançadores dentro de Gaza, muitos dos quais são móveis, e as fábricas de foguetes que os produzem.

Cada bateria do domo de ferro possui um radar de controle de disparo para identificar os alvos e também possui um lançador de mísseis portátil. O sistema é facilmente transportável – apenas algumas horas são necessárias para realocar e configurar.

O sistema é altamente manobrável. Tem 3 metros (quase 10 pés) de comprimento; tem um diâmetro de cerca de 6 polegadas (15 cm); e pesa 90 quilos (198 libras), disse o grupo de análise de segurança IHS Jane's em 2012. Acredita-se que a ogiva carregue 11 quilos de explosivos, disse a IHS Jane's. Seu alcance é de 4 km a 70 km (2½ milhas a 43 milhas).

O domo de ferro também foi atualizado para ser capaz de conter a ameaça de morteiros, que permanecem no ar por um tempo muito mais curto do que os foguetes e, mais recentemente, o sistema também passou a identificar drones. 

O IDF disse na última quinta-feira (13) que o sistema "interceptou um UAV pertencente ao Hamas que cruzou da Faixa de Gaza para o território israelense" – foi a primeira vez que um drone foi interceptado durante o combate.

Os analistas militares israelenses consideram o sistema um grande sucesso na proteção de civis, mas veem o domo de ferro como apenas um componente de uma estratégia militar mais ampla.

“As IDF não acreditam na possibilidade de alcançar a vitória em uma guerra, campanha ou conflito limitado por meio da defesa”, escreveram os pesquisadores do IDF em 2015. “Uma vitória sempre envolve uma ofensiva”.

(Esse texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)