Ciclone tropical Yaas atingirá leste da Índia em 24 horas

Na semana passada, a região nordeste do país foi atingida por outro ciclone, que deixou mais de cem mortos

Jackson Dill e Taylor Ward, da CNN
25 de maio de 2021 às 16:27 | Atualizado 25 de maio de 2021 às 16:30
Ciclone tropical Yaas se aproxima da Índia
Ciclone tropical Yaas se aproxima da Índia
Foto: CNN Weather

Outro ciclone tropical, batizado de Yaas, atingirá a Índia dentro de 24 horas, dessa vez na parte nordeste do país. 

Na semana passada, o ciclone tropical Tauktae atingiu a parte noroeste do país, trazendo enchentes e tempestades na área, incluindo em Mumbai. O Tauktae foi a tempestade mais forte a atingir a costa ocidental da Índia e matou mais de 100 pessoas. 

Antes da chegada do Yaas, o estado Bengala Ocidental pretende evacuar ao menos 1 milhão de pessoas, disse o ministro-chefe do estado Mamata Banerjee nesta segunda (24) em uma entrevista coletiva. Ao menos 19 mil pessoas também foram evacuadas de áreas baixas no estado de Odisha, disse o comissário de auxílio Kamal Mishra. 

O Yaas está apontado para uma Índia que ainda lida com uma onda devastadora de Covid-19, apesar da diminuição recente no número de novos casos diários. 

Em Odisha, 6.600 centros temporários de resgate foram estabelecidos, além dos 890 abrigos permanentes que já existem, para permitir o distanciamento social adequado, disse Mishra. Quatro mil abrigos foram preparados em Bengala Ocidental, disse Banerjee. 

Ao menos 45 equipes da Força Nacional de Resposta a Desastres (NRDF) foram enviadas para Bengala Ocidental, e 52, à Odisha, afirmou o diretor-geral do órgão Satya Pradhan. 

Yaas continua ganhando força

O Yaas ganhou força ao longo do último dia na região da Baía de Bengala, e uma intensificação maior é provável, com os ventos desta terça perto do equivalente à um furacão de categoria 1. 

A água quente tornará o ciclone ainda mais intenso antes de atingir a terra. A temperatura da superfície do mar é estimada em até 34ºC no norte da região. 

A tempestade também está se movendo para um ambiente de menor barreira de vento, o que permitirá que ela se fortaleça. Quando essa barreira é alta, ela pode enfraquecer e até dissipar um ciclone.

Fortes ventos e chuvas fortes atingiram Mumbai, na Índia, e suas áreas vizinhas devido a um forte ciclone
Foto: Ashish Vaishnav/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

É esperado que o Yaas chegue à terra entre as ilhas Paradip e Sagar, no norte de Odisha, até as costas de Bengala Ocidental até o meio-dia de quarta-feira (26), no horário local. Os ventos estão atualmente em 120 km/h e devem permanecer nessa velocidade. 

Chuvas pesadas podem causar enchentes no nordeste da Índia, com 150 a 250 mm de chuva. Também haverá um aumento de tempestade, com inundações de 2 a 4 metros na costa de Odisha e Kolkata.

"A parte norte da Baía de Bengala é muito sujeita a enchentes por tempestades, em parte devido ao formato triangular do começo da baía, que leva água para Bangladesh e o nordeste da Índia", disse o meteorologista da CNN Pedram Javaheri. "Dos 35 ciclones mais fatais do mundo, 26 aconteceram aqui". 

Ciclones e a Covid-19 na Índia

No ano passado, o ciclone Amphan chegou à terra perto de Kolkata com ventos de 165 km/h, uma das tempestades mais intensas do Oceano Índico já registradas. Apesar de ter perdido força, ele ainda matou dezenas de pessoas na Índia e em Bangladesh. 

Cerca de 6 mil casos de Covid-19 haviam sido registrados na Índia na época da chegada do Ampham, em maio de 2020. Nesta terça (25), a nação registrou mais de 196 mil novos casos. 

"Esse ciclone parece um problema duplo para milhões de pessoas na Índia, já que não há folga da Covid-19. O país está sendo atingido por um segundo grande ciclone em duas semanas, em regiões em que as infecções e mortes estão batendo recordes", disse Udaya Regmi, chefe da delegação sul-asiática da Cruz Vermelha. 

Cerca de 90 ciclones com ventos de ao menos 120 km/h atingiram o norte da Índia ou oeste de Bangladesh. Os ciclones tropicais podem se formar o ano todo no norte do Oceano Índico, mas são mais comuns na temporada das monções. 

"Ao longo dos últimos 20 anos, só houve três anos em que nenhum ciclone foi observado na temporada pré-monções, em 2005, 2011 e 2012", disse o meteorologista Javaheri. 

Com informações de Esha Mitra, da CNN em Nova Delhi

(Texto traduzido, leia o original em inglês)