EUA: líder de torcida com síndrome de Down é excluída do álbum anual da escola

A família da adolescente diz estar grata pelo apoio que recebeu dos amigos e da comunidade 

David Williams e Alisha Ebrahimji Da CNN
19 de junho de 2021 às 17:35 | Atualizado 19 de junho de 2021 às 17:37
Morgyn Arnold, na primeira fila
Morgyn Arnold, na primeira fila, posa em um retrato de líder de torcida que não foi usado no anuário de sua escola. A CNN intencionalmente borrou a imagem devido à idade dos demais sujeitos da imagem.
Foto: Shoreline Junior High School/KSL

A família de uma adolescente com síndrome de Down tem agradecido ao apoio que a garota tem recebido após ter sido excluída de um álbum de fotos de líderes de torcida em sua escola em Utah, nos Estados Unidos. 

A adolescente de 14 anos Morgyn Arnold foi líder de torcida da Shoreline Junior High School, nos Estados Unidos, disse seu pai, Jeffrey Arnold, à CNN. Ela participava de jogos, torcoa e participava de outras atividades para impulsionar o time da escola, disse ele.

Morgyn posou para uma foto com a equipe e estava sentada no meio da primeira fila. Quando ela recebeu seu anuário do oitavo ano, percebeu que foi usada uma foto diferente, que não a incluía. 

"Ela me mostrou e disse: Eu não estou aqui, mas esses são meus amigos e eu os amo", afirmou Jeffrey Arnold à CNN.

O distrito escolar de Davis pediu desculpas, em uma declaração. "Ficamos profundamente tristes  com o erro que foi cometido. Continuamos a olhar para ocorrido e queremos entender por qual razão aconteceu. Foram apresentadas desculpas à família e pedimos sinceras desculpas a outras pessoas afetadas por este erro. Iremos prosseguir com o assunto com os pais do aluno e analisaremos os nossos processos para assegurar que isto não volte a acontecer."

A família tem recebido apoio de amigos e da comunidade.  Arnold afirma ter tido conversas positivas com funcionários da escola desde que o anuário foi publicado e espera que eles possam tomar medidas para garantir que isto não volte a acontecer a Morgyn ou a qualquer outra criança. Ele preferiu não apontar dedos ou falar sobre quem era o responsável.

"Estou otimista com as conversas empáticas que começaram a ser feitas para garantir que isto não volte a acontecer", disse ele. Desde que o anuário foi publicado, outras meninas da equipe se reuniram em torno de Morgyn.

O pai da adolescente lamenta que as líderes de torcida e suas famílias tiveram que lidar com comentários de ódio nas mídias sociais, e ele solicita para que as pessoas parem.

Uma foto da equipe de líderes de torcida sem Morgyn foi usada para o anuário. A CNN intencionalmente borrou a imagem devido à idade dos demais sujeitos da imagem.
Foto: SHORELINE /Junior High /KSL

"A mobilização de amor dessas líderes de torcida, só mostra que elas eram amigas de Morgyn, elas eram incluíram e também ficaram desapontadas ao ver o ocorrido", confessa Arnold.

"Eles estão mostrando a maneira adequada de apoiar e ajudar em situações como esta e outros estão piorando com seu ódio e a maldade de seus comentários.", continua. 

A adolescente estaria de volta à escola no próximo ano para o nono ano, mas o pai da garota não garante que ela estará envolvida com o grupo de líderes de torcida.

Chris Boyette, da CNN, contribuiu para esta história.

Este é um texto traduzido, para ler o original, em inglês, clique aqui.