Opositor do governo da Venezuela consegue refúgio em casa diplomática chilena

Emilio Grateron também é aliado do Juan Guaido que foi eleito em 2015 pela Vontade Popular e reconhecido pelos EUA como presidente legítimo da Venezuela

Deisy Buitrago, da Reuters
17 de julho de 2021 às 13:06
Opositor do governo venezuelano, Emilio Graterón consegue refúgio no Chile
Emilio Grateron, opositor do governo venezuelano consegue refúgio no Chile
Foto: Divulgação/Redes Sociais

O ativista da oposição venezuelano e ex-prefeito Emilio Grateron se refugiou na residência diplomática chilena em Caracas, disseram autoridades chilenas e venezuelanas, em meio a uma onda de prisões de adversários políticos do presidente Nicolas Maduro.

As forças de segurança prenderam esta semana o líder da oposição Freddy Guevara, bem como outros ativistas do partido de oposição Vontade Popular, acusando alguns deles de estarem envolvidos na violência de gangues que paralisou a capital na semana passada.

Popular Will descarta as acusações como falsas e diz que Maduro está prendendo adversários para abafar a dissidência.

O Ministério das Relações Exteriores do Chile disse em um comunicado na noite de sexta-feira (16) que recebeu Grateron como convidado "a pedido do líder da oposição Juan Guaido, e pretende fornecer proteção a essa pessoa, que sofre perseguição política".

Guaido em 2015 foi eleito legislador pela Vontade Popular e é reconhecido pelos Estados Unidos como o presidente legítimo da Venezuela, após a disputada reeleição de Maduro em 2018.

“Obrigado àqueles que me salvaram do mal”, Grateron escreveu no Twitter no sábado. "A verdade nos libertará."

O Ministério das Relações Exteriores da Venezuela disse no Twitter na noite de sexta-feira que o Chile estava "ajudando a encobrir a violência sofrida pela população de Caracas nas últimas semanas" ao receber Grateron.

O gabinete do procurador-geral afirmou que acusará Guevara, um dos aliados mais próximos de Guaido, de terrorismo e traição.