Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Blinken reitera oposição dos EUA a cessar-fogo em Gaza, mas cita apoio às “pausas humanitárias”

    Em reunião com líderes árabes, secretário de Estado dos EUA falou que um acordo agora permitiria que o Hamas ganhasse força

    Jennifer Hanslerda CNN

    O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, reforçou a oposição dos Estados Unidos a um cessar-fogo na Faixa Gaza em uma reunião com os principais líderes do Oriente Médio neste sábado (3), em Amã, na Jordânia, dizendo que um acordo agora permitiria que o Hamas se reorganizasse e atacasse Israel novamente.

    O posicionamento dos EUA colocou em conflito com os seus parceiros árabes, incluindo aqueles com quem se encontrou em Amã, na Jordânia.

    Apesar da resistência ao cessar-fogo, o principal diplomata dos EUA falou novamente sobre o apoio dos EUA às “pausas humanitárias” – um conceito que foi rejeitado pelas autoridades israelenses.

    Blinken disse que ele e os seus homólogos “todos concordaram sobre a importância de usar a nossa respectiva influência e capacidades para dissuadir qualquer ator estatal ou não estatal de abrir outra frente neste conflito”.

    “Ao longo deste conflito, os países do Oriente Médio e de outros lugares desempenharam um papel essencial na prevenção da sua propagação”, disse Blinken em uma conferência de imprensa em Amã.

    Os EUA alertaram repetidamente outros inimigos de Israel – incluindo o Hezbollah, que manifestou apoio ao Hamas e trocou tiros com tropas israelenses na fronteira com o Líbano, mas não interveio diretamente em nome do grupo radical islâmico – para não alargarem o conflito a uma guerra mais ampla no Oriente Médio.

    Os EUA e os seus parceiros árabes partilham “os mesmos interesses e objetivos fundamentais” para acabar com a guerra Israel-Hamas “de uma forma que garanta uma paz e segurança duradouras na região”, disse Blinken após a reunião de cúpula, embora reconhecendo que “podemos ter diferentes pontos de vista e posições” sobre como alcançar esse fim.

    O principal diplomata dos EUA disse que todas as partes reafirmaram o seu compromisso de trabalhar em conjunto nesta questão.

    Blinken disse que também conversou com os líderes árabes sobre a necessidade de proteger os civis palestinos em meio aos ataques crescentes de Israel na Cisjordânia.

    Veja também: EUA dizem que não há registros de que Hamas esteja bloqueando ajuda a civis

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original