Trump diz que irá à Suprema Corte para interromper a contagem de votos nos EUA


Por Diego Freire, da CNN, em São Paulo
04 de novembro de 2020 às 04:34 | Atualizado 04 de novembro de 2020 às 20:30

 

Alegando fraude na eleição americana, Donald Trump, em pronunciamento da diretamente da Casa Branca, disse que irá à Suprema Corte do país para pedir a interrupção da contagem dos votos. O republicano discursou por volta das 2h30 desta quarta-feira (4) no horário local (4h30 de Brasília).

"(Os democratas) sabem que não podem vencer. Foi isso que previ desde o dia em que disseram que mandariam milhões de votos (pelos correios)", disse Trump, que durante toda a campanha questionou os votos não presenciais, que tiveram adesão recorde em 2020 por conta da pandemia de Covid-19.

Sem apresentar provas, Trump afirmou que "o povo americano está sendo fraudado" na eleição.

"Iremos à Suprema Corte, queremos que a votação seja interrompida. Não queremos que encontrem cédulas às 4h e acrescentem", declarou o republicano, que se considerou vencedor da eleição, com milhões de votos ainda pendentes.

"Francamente, ganhamos esta eleição", disse Trump a apoiadores durante o pronunciamento. 

Logo após o discurso, Jen O’Malley Dillon, gerente da campanha de Joe Biden, emitiu nota classificando as falas de Trump como "ultrajantes, sem precedentes e incorretas".

 

Assista e leia também:

Fraudes eleitorais nos Estados Unidos são extremamente raras; entenda


Programação especial da CNN traz apuração e análise das eleições; assista

Acompanhe a contagem de votos em tempo real

Veja as principais projeções da CNN na apuração das eleições nos EUA

 

Horas antes do discurso, já durante a madrugada, Trump havia insinuado fraude eleitoral em postagem no Twitter. "Nós estamos muito grandes, mas eles estão tentando roubar a eleição. Os votos não podem ser lançados após o encerramento das votações", escreveu.

Rapidamente, a rede social inseriu um aviso de que a publicação possui "conteúdos contestáveis e pode ter informações incorretas sobre como participar de uma eleição ou de outro processo cívico".

Apesar de acusar os democratas de fraude, Trump comemorou resultados já confirmados que ele considerou inesperados, como as vitórias nos estados-chave de Ohio, Flórida e Texas.

Trump também comemorou estar à frente de Biden na Pensilvânia, estado considerado decisivo para os dois candidatos. Com cerca de 70% dos votos apurados, no momento em que Trump discursava ele tinha 55% dos votos no estado, que representa 20 delegados do colégio eleitoral.

Cerca de duas horas antes da fala de Trump, Joe Biden foi o primeiro candidato a se pronunciar após o fim das eleições. Em seu discurso, apesar de dizer que "caminhava para a vitória", o democrata pediu "paciência" para que se aguardasse a contagem final dos votos. 

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em discurso na Casa Branca (04.nov.
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump discursa na Casa Branca na noite após o encerramento do período eleitoral (04.nov.2020)
Foto: CNN Brasil