Bolsonaro critica proposta de Biden sobre Amazônia: "só diplomacia não dá"

"Assistimos há pouco um grande candidato à chefia de Estado dizer que se eu não apagar o fogo da Amazônia levanta barreiras comerciais", disse o brasileiro

Da CNN, em Brasília
10 de novembro de 2020 às 19:22 | Atualizado 10 de novembro de 2020 às 20:51

 


 O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou, nesta terça-feira (10), o presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden.

"Assistimos há pouco um grande candidato à chefia de Estado dizer que se eu não apagar o fogo da Amazônia levanta barreiras comerciais contra o Brasil. E como nós podemos fazer frente a tudo isso? Apenas a diplomacia não dá, né Ernesto?", disse, citando o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

No primeiro debate entre Biden e o republicano Donald Trump, Biden defendeu o retorno dos EUA ao Acordo Climático de Paris e citou o Brasil, reivindicando que o mundo se mobilize para viabilizar um fundo de US$ 20 bilhões voltado à conservação da Amazônia. O democrata afirmou que o fundo seria uma forma de pedir ao Brasil que "pare de destruir a floresta" e que, caso o Brasil falhasse nesse objetivo, ameaçaria o país com consequências econômicas.

Leia também:

Militares preparam aceno à agenda ambiental

Em documentos internos, embaixada dos EUA ignora vitória de Biden

Bolsonaro disse ainda que, além da diplomacia, "tem que ter pólvora". "Porque quando acabar a saliva, tem que ter pólvora, se não, não funciona. Precisa nem usar a pólvora, mas precisa mostrar que nós temos”, concluiu.

O presidente brasileiro ainda não reconheceu a eleição de Biden e, durante a campanha, manifestou apoio ao republicano Donald Trump.