Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Guerra em Israel: brasileiro que estava em festival é encontrado morto, diz família

    Ranani Nidejelski Glazer, de 24 anos, estava com a namorada quando o Hamas invadiu a festa

    Isadora AiresNaira ZiteiTiago Tortellada CNN

    em São Paulo

    O brasileiro Ranani Nidejelski Glazer, de 24 anos, foi encontrado morto, segundo confirmou a família do jovem à CNN. O Itamaraty também confirmou a morte.

    O pai de Ranani reconheceu o corpo do rapaz, segundo informou um primo à reportagem.

    Ele estava desaparecido desde sábado (7), quando o grupo radical islâmico Hamas atacou uma rave — festa de música eletrônica — em que estava com a namorada.

    Veja também — Ranani publicou um vídeo sobre o ataque em rave em Israel

    Ranani chegou a postar em uma rede social sobre o bombardeio em um bunker. Ele vivia em Israel há aproximadamente sete anos, e residia em Tel Aviv.

    Ele havia terminado recentemente o tempo de serviço militar, obrigatório no país, e trabalhava como entregador.

    Ranani nasceu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e trabalhou anteriormente como editor de vídeos e designer de propagandas animadas.

    A namorada do jovem, Rafaela Treistman, que estava com ele durante o ataque, relatou em entrevista exclusiva à CNN os momentos de pânico.

    “Eu não lembro direito das coisas. Sei que em uma hora ele estava comigo, estávamos em um canto, abraçados, e em outra hora ele não estava mais. Eu estava tão desorientada que perguntava para uma menina que estava do meu lado ‘Ranani, é você?’. E ela não respondia”, conta.

    Veja nota do Itamaraty

    Falecimento de cidadão brasileiro em Israel

    O Governo brasileiro tomou conhecimento, com profundo pesar, do falecimento do cidadão brasileiro Ranani Nidejelski Glazer, natural do Rio Grande do Sul, vítima dos atentados ocorridos no último dia 7 de outubro, em Israel.

    Ao solidarizar-se com a família, amigas e amigos de Ranani, o Governo brasileiro reitera seu absoluto repúdio a todos os atos de violência, sobretudo contra civis.

    Veja quem são as outras brasileiras desaparecidas

    Bruna Valeanu

    Bruna Valeanu, brasileira desaparecida em Israel após ataques do Hamas
    Bruna Valeanu, brasileira desaparecida em Israel após ataques do Hamas / Reprodução/Redes sociais

    Bruna Valeanu, de 24 anos, nasceu no Rio de Janeiro e mora atualmente em Petah Tikva, tendo se mudado para Israel em 2015. Ela frequentou a escola TTH Barilan, no Brasil.

    Uma irmã de Bruna confirmou o desaparecimento da jovem nas redes sociais.

    Bruna estuda Comunicação e Sociologia/Antropologia na Universidade de Tel Aviv. Em uma publicação, a jovem havia dito que estava desenvolvendo habilidades em marketing e redes sociais.

    Ela também foi instrutora de tiro das Forças de Defesa de Israel durante dois anos, entre 2018 e 2020.

    Trabalhou também com vendas em uma empresa de seguros de Israel.

    Karla Stelzer

    Karla Stelzer, brasileira desaparecida em Israel após ataques do Hamas
    Karla Stelzer, brasileira desaparecida em Israel após ataques do Hamas

    Outra brasileira desaparecida é a carioca Karla Stelzer.

    O Itamaraty não divulga o nome dos desaparecidos, mas, conforme apurou a CNN, Karla estava em um festival de música que foi atacado pelo Hamas.

    À CNN, um amigo da brasileira informou que ela tem um filho que também mora em Israel.

    Ele relatou o que seria o último áudio enviado por Karla a uma amiga. Na mensagem, ela teria dito que estava junto a pelo menos outras três pessoas.

    No início, ainda segundo a descrição, acharam que os foguetes eram fogos de artifício da festa e afirmaram que estavam fugindo do local.

    A mãe de Karla, Regina Stelzer, também confirmou nas redes sociais o desaparecimento da filha, e disse que ela estava acompanhada do namorado, o israelense Gabriel Azulay, que também está desaparecido.

    FOTOS — Veja imagens do conflito entre Israel e Hamas

    *Com informações de Duda Cambraia e João Victor Azevedo, da CNN