Ceará: PMs chegam a acordo com governo e encerram motim


02 de março de 2020 às 05:36 | Atualizado 02 de março de 2020 às 05:52
Viaturas da Polícia Militar do Ceará em frente a batalhão durante greve

Viaturas da Polícia Militar do Ceará em frente a batalhão durante greve de policiais em Fortaleza

Crédito: REUTERS/ Lucas Moura

Após 13 dias de paralisação, chegou ao fim o motim de policiais militares no Ceará. Na noite deste domingo (1) a categoria aceitou a proposta oferecida pelo governo do estado retornará ao trabalho nesta segunda-feira.

A decisão foi tomada após um dia inteiro de reuniões entre a comissão formada pelos representantes dos três poderes e representantes da PM. Os agentes de segurança só suspenderam a paralisação depois que o governo ofereceu uma série garantias - entre elas que os processos que vão apurar as infrações cometidas por cada envolvido no motim vão acontecer "de forma parcial, isenta e transparente".

Também houve a garantia de que haverá reajuste salarial. Sobre esse ponto, cada detalhe será decidido entre as duas partes.

Os deputados do Ceará passaram todo o domingo em sessão extraordinária para votar na proposta do Projeto de Emenda à Constituição (PEC) que proíbe que policiais façam greve. A Constituição Federal já proíbe a paralisação de agentes da segurança pública.

 

Após a decisão da categoria, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro declarou em sua conta no Twitter que vê com “satisfação” o fim da paralisação. 

“O Governo Federal esteve presente, desde o início, e fez tudo o que era possível dentro dos limites legais e do respeito à autonomia do Estado.Prevaleceu o bom senso, sem radicalismos. Parabéns a todos”, escreveu o ministro.