Rio de Janeiro convoca gabinete de crise para lidar com chuvas


02 de março de 2020 às 18:31
Morro do pão de açúcar sob céu cinza da forte chuva no estado do Rio de Janeiro

Morro do Pão de açúcar visto da praia de Botafogo: final de semana chuvoso e cinza no estado do Rio de Janeiro

Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

O estado do Rio de Janeiro viu chegar as águas de março com a entrada do novo mês e teve um fim de semana marcado por fortes chuvas. Elas causaram a morte de quatro pessoas, forçando a convocação de um gabinete de crise.

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), convocou reunião do gabinete para traçar estratégias para ajudar as cerca de 5.300 pessoas desabrigadas pelo temporal. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil do estado estão de prontidão desde às 11 horas da manhã do último sábado (29).

Se juntaram no palácio da Guanabara, além de Witzel, o vice-governador, Cláudio Castro, os secretários da Casa Civil e Governança, André Moura; de Governo e Relações Institucionais, Cleiton Rodrigues; de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fernanda Titonel; e representantes da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros.

A Secretaria de Desenvolvimento Social anunciou que irá enviar kits de higiene, cestas básicas e água, enquanto a Comissão Técnica de Prontidão da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras levará equipes ao locais afetados para avaliar os imóveis afetados pela chuva, além de buscar soluções para minimizar a tragédia.

A Cedae anunciou a mobilização de veículos pesados para desobstruir vias e caminhões pipa para limpeza. A Defesa Civil está em alerta para atender chamados de cidades que não conseguirem suprir as emergências locais.

No total, 32 municípios do estado tiveram sinal de alerta emitido, sendo as cidades de Magé, Mesquita, Rio Bonito, Seropédica, além da zona oeste da capital, as mais atingidas pela chuva. Alguns bairros tiveram, em um final de semana, 44% da precipitação esperada para o mês de março.