Chuva causa mortes, Congresso vota vetos e mais notícias da tarde de 3 de março


03 de Março de 2020 às 16:49 | Atualizado 05 de Março de 2020 às 10:25

As chuvas com mortos e desaparecidos no litoral de São Paulo e em regiões do Rio de Janeiro, a votação do vetos ao Orçamento Impositivo no Congresso Nacional e as últimas informações sobre o avanço do coronavírus são as principais notícias da tarde desta terça-feira (3). Assista ao 5 Fatos Tarde, com Luciana Barreto.

Chuvas no Rio e em SP

A madrugada de chuvas provocou inundações, soterramentos e mortes na Baixada Santista, no litoral de São Paulo. Deslizamentos de terra interditaram trechos de rodovias. No Rio de Janeiro, várias localidades ainda estão debaixo d'água. Já são pelo menos cinco mortos.

Orçamento Impositivo

Mais um dia de queda de braço entre o governo e o Congresso Nacional. Deputados e senadores discutem, nesta tarde, se derrubam os vetos do presidente Jair Bolsonaro ao Orçamento Impositivo e ampliam o controle sobre os gastos públicos. Estão em jogo R$ 30 bilhões. O acordo sobre o orçamento de 2020 é o principal ponto da crise entre os dois poderes desde o início deste ano.

Coronavírus

O número de suspeitos de coronavírus no Brasil cresceu mais de 70% e já passa de 400, mas apenas dois pacientes tiveram diagnóstico confirmado. Eles seguem sendo monitorados em São Paulo. No mundo são quase 90 mil casos e mais de 3 mil mortos, a maioria na China.

Superterça

Hoje é dia de Superterça, data importante para as eleiçõs americanas, quando eleitores de 14 estados e americanos que estão fora do país vão às urnas para escolher o candidato democrata. Está em jogo um terço dos delegados totais para definir o indicado que deve ser adversário de Donald Trump em novembro. Bernie Sanders, Joe Biden e Michael Bloomberg encabeçam a disputa.

Eleições em Israel

Apuração parcial indica vitória do Likud, o partido de Benjamin Netanyahu nas eleições em Israel. O resultado oficial será divulgado nos próximos dias. Esta foi a terceira vez que os israelenses foram às urnas em menos de um ano.