Com 12 mortes confirmadas e 44 soterrados, Santos decreta estado de emergência


03 de Março de 2020 às 13:33 | Atualizado 03 de Março de 2020 às 15:49

Com pelo menos 12 mortos em razão do temporal que atingiu a baixada santista, a cidade de Santos decretou estado de emergência na manhã desta terça-feira (3). A decisão foi comunicada pelo prefeito, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB-SP), à CNN Brasil

Os prefeitos de outras cidades da região estão reunidos nesta manhã e também podem decretar situação de emergência nos próximos minutos. Eles pedem R$ 30 milhões ao governo do estado de São Paulo para realizar as obras de contenção por conta das chuvas.

Em publicação no Twitter, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), lamentou as mortes do litoral do estado, mas ainda não se manifestou sobre o pedido dos prefeitos. "Minha solidariedade aos moradores da Baixada Santista que sofrem com as fortes chuvas desde ontem. Lamentavelmente, até o momento, há 9 mortos confirmados. Temos 1 herói do Corpo de Bombeiros entre as vítimas. A Defesa Civil, Bombeiros e PM estão dando suporte às prefeituras", postou. 

Além dos 10 mortos, há pessoas desaparecidas, mas o número exato ainda não divulgado pelas autoridades. O Corpo de Bombeiros de São Paulo informou que está enviando militares para para auxiliar nas ocorrências da região.

Aulas suspensas

Também por conta dos impactos da forte chuva, a Secretaria de Educação de Santos informou que as aulas foram suspensas nas escolas municipais que estão sem condições de acesso, principalmente nos morros.

De acordo com a pasta, a exceção é a UME Terezinha de Jesus Pimentel, no Morro São Bento, que está funcionando como ponto de acolhida para desabrigados. 

A Secretaria ressalta que pais estão deixando filhos em algumas escolas, em outras regiões da Cidade - entre elas, a UME Martins Fontes - com receio de que permaneçam em casa, por causa do risco de deslizamentos.