Polícia gaúcha investiga culto que prometeu curar coronavírus


Pedro Teodoro e Pietra Carvalho Da CNN Brasil, em São Paulo
03 de março de 2020 às 18:00 | Atualizado 03 de março de 2020 às 18:38
Polícia Civil do RS investiga promessa de cura do coronavírus na Catedral Global

Polícia Civil do RS investiga promessa de cura do coronavírus na Catedral Global do Espírito Santo (3.mar.2020)

Crédito: Reprodução/Google Streetview

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul abriu inquérito para investigar um culto evangélico que prometia imunização contra o novo coronavírus. O estado tem o segundo maior número casos suspeitos no Brasil, com 82 pessoas monitoradas em quarentena — atrás apenas de São Paulo, com 130

O evento religioso que prometia proteção contra o COVID-19 ocorreu no último domingo, 1° de março, na Catedral Global do Espírito Santo, em Porto Alegre. Um dos apóstolos responsáveis pela celebração, Silvio Ribeiro, convocou seus fiéis para o culto prometendo um óleo para "imunizar contra qualquer epidemia, vírus ou doença”.

À CNN Brasil, a delegada Laura Lopes confirmou que policiais compareceram ao local marcado e não identificaram nenhum crime de imediato, mas um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil gaúcha para investigar o possível caso de charlatanismo.

Ainda em suas redes sociais, o apóstolo Ribeiro ironizou as denúncias contra o culto e afirmou que todos os presentes “foram curados e chorando entregaram as suas vidas no altar de Deus”. 

O Ministério da Saúde informou, em coletiva de imprensa desta terça-feira (03/03), que o Brasil está monitorando 488 casos suspeitos de coronavírus no país, 55 casos a mais que o número anterior.

Apóstolo gaúcho coronavírus

Igreja gaúcha convocou fiéis para uma "unção com óleo" que os protegeria do novo vírus (01.mar.2020)

Photo: Reprodução/Instagram (01.mar.2020)