Salão do Automóvel de São Paulo deste ano pode ser cancelado


Da CNN Brasil, em São Paulo
03 de março de 2020 às 19:27
Algumas montadoras já haviam anunciado que não vão participar do evento, entre e

Algumas montadoras já haviam anunciado que não vão participar do evento, entre elas a Toyota, a BMW e a General Motors

Crédito: Pixabay

O tradicional Salão do Automóvel de São Paulo, que acontece há 60 anos, pode ser cancelado este ano, segundo as apurações da comentarista de economia da CNN Brasil, Raquel Landim. Algumas montadoras já tinham anunciado publicamente que não iriam participar, entre elas a Toyota, a BMW e a General Motors.  

Na quinta-feira (5) vai acontecer uma reunião decisiva sobre esse assunto na Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). A decisão deve ser anunciada na sexta-feira (6) durante a coletiva de imprensa da associação.

Recentemente, o salão do automóvel de Genebra (Suíça) foi cancelado por conta do surto do novo coronavírus. Porém, segundo a jornalista, o problema em São Paulo se deve ao alto custo para realizar o evento: estima-se que o Salão do Automóvel na capital paulista custe entre R$ 180 e 240 milhões.

"Há duas razões para as montadoras estarem receosas por causa desse custo. A primeira delas é que o setor não está em um momento muito bom. As vendas estão se recuperando, mas elas vêm em um patamar baixíssimo e, por isso, as margens de lucro são apertadas. A outra questão é a tendência de desenvolvimento do marketing. Muitas pessoas que trabalham nas montadoras defendem que não faz mais sentido gastar tanto dinheiro em um mega evento como o salão do automóvel. Para elas, é melhor fazer propagandas na internet para atingir diretamente o consumidor", explica.

Para Landim, essa é uma péssima notícia para São Paulo. "Só na última edição, o Salão do Automóvel atraiu 750 mil pessoas. Isso movimenta a economia da cidade", conclui.