Seis casas desabam durante chuva no RJ; 3.500 pessoas seguem desabrigadas


03 de março de 2020 às 09:39 | Atualizado 03 de março de 2020 às 11:22
Chuvas fortes são registradas no Rio de Janeiro

Chuvas fortes são registradas no Rio de Janeiro

Crédito: Tomaz Silva / Agência Brasil

Seis casas desabaram na manhã desta terça-feira (3), no bairro Jardim América, zona norte do Rio de Janeiro, em razão da forte chuva que atinge a cidade desde a segunda-feira (2). De acordo com o Corpo de Bombeiros, até o momento, não há registro de vítimas.

O estado do Rio de Janeiro segue em estágio de alerta e com previsão de mais chuva para hoje. Ao menos cinco pessoas morreram e 3.500 estão desabrigadas.

De acordo com parâmetros divulgados pela prefeitura, o estágio de alerta é o penúltimo numa escala de 5, o que significa que uma ou mais ocorrências graves impactam a cidade ou há incidência simultânea de diversos problemas de médio e alto impacto em diferentes regiões do estado.

Para as próximas horas, segundo o sistema de monitoramento Alerta Rio, há previsão de chuva fraca isolada pela manhã, além de fraca a moderada isolada no período tarde e à noite.

A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros receberam cerca de 800 chamados durante todo fim de semana e cerca de 30 sirenes de alerta foram emitidas até a última segunda-feira.

Prefeito se pronunciou

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), disse, na noite de domingo (1º), que as pessoas gostam de morar perto de áreas de risco “porque gastam menos tubo para colocar cocô e xixi”. Ele fez a afirmação durante uma reunião no Centro de Operações do Rio de Janeiro, transmitida ao vivo em sua conta oficial do Facebook.

No dia seguinte, na segunda-feira (2), durante uma visita à comunidade de Realengo, na zona oeste da capital fluminense, Crivella foi atingido no rosto e no ombro por lama jogada por moradores, enquanto concedia uma entrevista coletiva.