Superterça, orçamento impositivo e mais notícias da manhã de 3 de março


03 de março de 2020 às 06:49 | Atualizado 03 de março de 2020 às 09:31

A Superterça, a votação do orçamento impositivo no Congresso, o aumento de 72% de casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil, o impasse entre Augusto Aras, procurador-geral da República e o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel e a possível vitória de Netanyahu em Israel são os destaques da manhã desta terça-feira, 3 de março de 2020. Assista ao programa 5 Fatos Manhã, apresentado por Tais Lopes.  

Superterça
Nos Estados Unidos, hoje é dia da Superterça. Eleitores democratas de 14 estados vão às urnas para escolher o futuro candidato do partido. Ele enfrentará Donald Trump nas eleições de novembro deste ano.

 

Orçamento impositivo
O Congresso se reúne hoje para discutir os vetos do presidente Jair Bolsonaro na proposta do orçamento impositivo. O Planalto espera apoio do Senado, mas pode ter retaliações dos deputados. O projeto, que tem provocado crise entre Legislativo e Executivo, inclui as emendas parlamentares na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e estabelece prazos para os pagamentos.

 

Coronavírus no Brasil

Já são 433 casos suspeitos do novo coronavírus em todo o território nacional, aumento de 72%  em relação ao último balanço. A alta significativa se deve à mudança na metodologia de investigação do Ministério da Saúde. As duas pessoas com diagnóstico positivo para a doença estão em São Paulo e seguem em monitoramento.

 

Eleições em Israel

Pesquisas de boca de urna indicam uma vitória do Likud, partido do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, nas eleições de Israel. Os resultados da votação, a terceira realizada no país em 11 meses, deverá sair nos próximos dias.

 

Augusto Aras

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que as políticas de segurança propostas pelo governador do Rio de Janeiro, são contra a lei. Wilson Witzel quer acabar com o pagamento adicional para agentes públicos que tiverem o índice de mortes reduzido e defende o uso helicópteros como plataformas de tiro.