Chuvas deixam 18 mortos e 30 desaparecidos na Baixada Santista


Da CNN Brasil, em São Paulo
03 de março de 2020 às 07:43 | Atualizado 03 de março de 2020 às 22:26
Ao menos 9 pessoas morreram na Baixada Santista em razão das chuvas

Temporais na Baixada Santista deixam mortos e desabrigados nas cidades de Santos, São Vicente e Guarujá (03.mar.2020)

Crédito: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Ao menos 18 pessoas morreram e 30 estão desaparecidas em razão da forte chuva que atingiu a Baixada Santista na madrugada desta terça-feira (3), informou o Corpo de Bombeiros de São Paulo.

As mortes foram registradas nas cidades de Guarujá, Santos e São Vicente. A prefeitura de Santos decretou estado de emergência. Doria lamentou as mortes e prometeu suporte às vítimas. 

"Minha solidariedade aos moradores da Baixada Santista que sofrem com as fortes chuvas desde ontem", disse o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). "A Defesa Civil, Bombeiros e PM estão dando suporte às prefeituras."

Inicialmente, os bombeiros trabalhavam com a hipótese de que 45 pessoas estivessem desaparecidas. Com o passar do dia e o avanço dos trabalhos, o número foi sendo corrigido.

O Coordenador Estadual da Defesa Civil, coronel Walter Nyakas Junior, se reunirá com os prefeitos para analisar as primeiras medidas a serem tomadas.

Segundo o Núcleo de Gerenciamento de Emergência da Defesa Civil do Estado, o acumulado em 12 horas de chuva foi de 282 mm no Guarujá, 218 mm em Santos e 169 mm na Praia Grande.

A prefeitura de Santos informou que aulas foram suspensas em 12 escolas, todas nos bairros mais afetados pelo temporal.

Carros ficam em alagamentos após chuvas em Santos

Carros ficam em ruas alagadas após chuvas em Santos

Crédito: Reprodução/Twitter

 Trânsito ruim na Baixada Santista

Uma barreira caiu na rodovia Anchieta, na altura do km 45 e o trânsito no sentido São Paulo está bloqueado, segundo a concessionária Ecovias. Por volta das 9h25, no trecho de Baixada da via Anchieta, em direção à Capital, havia congestionamento, do km 59 ao km 55. Já no trecho de Planalto, havia lentidão na chegada a São Paulo, do km 13 ao km 10.

Em virtude de uma queda de barreira na altura do km 254 da rodovia Cônego Domênico Rangoni (CDR), o tráfego está congestionado, no sentido Guarujá, do km 257 ao km 254, e o tráfego flui pelo acostamento.

Ainda na CDR, o tráfego está congestionado do km 270 ao km 263, sentido Guarujá, e na saída da cidade, pela SP-248, do km 7 ao km 5, devido alagamento.

A Interligação Planalto segue bloqueada, no sentido São Paulo, devido à neblina e baixa visibilidade. Em direção ao Litoral, a Interligação está congestionada, do km 3 ao km 1.

Recorde histórico

A Defesa Civil afirmou também que a cidade de Santos registrou recorde histórico de chuvas em fevereiro (916,6 mm). A média registrada para o período é de 291 mm. Todos os morros estão em estado de atenção para deslizamentos.

Previsão do tempo

A previsão para esta terça é de chuva moderada em todo o litoral paulista. O motivo, de acordo com a Defesa Civil, é a formação de uma área de baixa pressão na região, junto à circulação de ventos nos altos níveis da atmosfera.