Comissão formada pelos Três Poderes é criada para tentar acabar com motim no CE


14 de março de 2020 às 15:29

 

Viaturas da Polícia Militar do Ceará em frente a batalhão durante greve

Viaturas da Polícia Militar do Ceará em frente a batalhão durante greve de policiais em Fortaleza

Crédito: REUTERS/ Lucas Moura

Na tentativa de solucionar a paralisação de parte dos policiais militares do Ceará, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário no estado instalaram uma comissão conjunta nesta quarta-feira (26), para discutir o tema.  O grupo foi acompanhado pelo Ministério Público do Ceará, assim como o acompanhamento do Exército Brasileiro.

A paralisação começou na terça-feira (18), quando falsos agentes de segurança do Ceará invadiram e ocuparam quarteis. A categoria reivindica aumento salarial acima do proposto pelo governador Camilo Santana (PT). A Constituição não permite que militares façam greve e a paralisação é considerada um motim, que já dura nove dias.

De acordo com informações do balanço divulgado pelo governo cearense, 170 pessoas foram assassinadas no período. Só na segunda-feira (24), foram confirmadas 23 mortes. Homens da Força Nacional de Segurança e das Forças Armadas reforçam o patrulhamento.

A onda de violência tem assustado comerciantes e trabalhadores locais. Por telefone, a repórter Alana Araújo, diretamente de Fortaleza para o jornal “CNN Novo Dia”, comentou sobre a tensão na região, especialmente durante o período de feriado.  “Apenas na sexta-feira de Carnaval foram 37 mortes confirmadas”, relatou.