Estado do Rio suspende cirurgias eletivas e férias de profissionais de saúde


Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN   Da CNN Brasil, no Rio
15 de março de 2020 às 12:19
Hospital Federal de Bonsucesso, em Bonsucesso, zona norte do Rio

25.dez.2015 – Hospital Federal de Bonsucesso, em Bonsucesso, zona norte do Rio de Janeiro (RJ)

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
 

Em áudio enviado a médicos, o secretário estadual de Saúde do Rio, Edmar Santos, anuncia uma série de medidas de combate ao novo coronavírus que serão adotadas nesta segunda-feira (16), entre elas, a suspensão das férias de profissionais de saúde, a interrupção temporária de cirurgias eletivas (com exceção das cardíacas e oncológicas) e a restrição de visitas a internados na rede pública. 

Os leitos de pacientes que seriam operados ficarão à disposição dos infectados pelo coronavírus. Santos fez um apelo para que a rede privada também suspenda cirurgias.  A Secretaria de Saúde confirmou a autenticidade do áudio recebido pela CNN Brasil.

Na gravação, Santos informa que visitas a pacientes internados por conta de outras doenças só poderão ocorrer a cada dois dias e serão feitas em horários alternados. Os infectados pelo coronavírus não poderão receber visitas. 

Ele afirma também que serão tomadas medidas restritivas em relação aos presídios e instituições que abrigam adolescentes infratores. Idosos poderão designar pessoas mais jovens para pegar medicamentos na Riofarmes , rede mantida pelo estado. 

“Ou paramos o Rio de Janeiro agora ou nos cobrarão o custo das mortes que virão”, diz.  “Os médicos tremerão”, acrescenta. Segundo ele, estes profissionais já “estão tremendo” por conta do impacto do coronavírus. Para o secretário, haverá falta de recursos humanos mais do que problemas com recursos materiais.

Santos ainda pede para que todos da área de saúde se esforcem para disseminar informações sobre a pandemia. “A situação é grave”, alerta.