RJ fecha casas de idosos e restringe horários de trabalho, para frear COVID-19


Luiza Muttoni Da CNN Brasil, no Rio de Janeiro
17 de março de 2020 às 12:39 | Atualizado 17 de março de 2020 às 12:50
coletiva Crivella

Em entrevista coletiva, o governador Marcelo Crivella também anunciou o fechamento de dez parques municipais, para frear coronavírus

Foto: Luiza Muttoni/ CNN Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou, nesta terça-feira (17), uma intensificação das medidas para tentar conter a disseminação do novo coronavírus na cidade.

Em entrevista coletiva, o governador Marcelo Crivella (Republicanos) anunciou o fechamento de casas de idosos, de dez parques municipais – Mendanha, Grumari, Prainha, Chico Mendes, Marapendi, Bosque da Barra, Bosque da freguesia, Chacrinha, Catacumba e Dois Irmãos –, de pontos turísticos e espaços de lazer, como museus, teatros e cinemas durante a crise.

A Guarda Municipal também foi instruída para que atue ao longo das praias cariocas e oriente as pessoas a não fazerem aglomerações nas áreas de banho.

O governo municipal esclareceu que os restaurantes populares da cidade continuarão abertos, mas que as casas de convivência, frequentadas por mais de 5 mil idosos, deixarão de funcionar a partir de quarta-feira (18).

Transporte público

A prefeitura informou que uma nova norma determinada à RioÔnibus impedirá o transporte de passageiros de pé, tanto nos ônibus regulares quanto nas linhas de BRT que atendem a cidade. Além disso, serão disponibilizados mais coletivos nos horários de pico para atender os passageiros e evitar lotação.

Nas próximas semanas, os postos da secretaria de transporte não terão atendimento presencial – a prefeitura garante, porém, que manterá o atendimento por meio da internet.

Protocolos para licenças de projetos no meio ambiente e urbanismo também deverão ser feitos on-line.

Lazer

O prefeito pediu para que donos de bares e restaurantes limitem a lotação a pelo menos 50% da capacidade dos espaços, mantendo mesas afastadas e, se possível, que priorizem vendas on-line.

Clubes esportivos, colônias de férias e academias devem ser fechados, assim como as 24 vilas olímpicas.

Indústria

A produção de lixo teve redução na cidade. Segundo a prefeitura, num dia normal, 10 mil toneladas de resíduos domésticos são recolhidas e esse número tem caído bastante, mostrando que a atividade das pessoas no comércio, serviços e indústria está diminuindo.

Uma reunião com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), na segunda-feira (16), definiu a alternância no início dos turnos nas empresas, com expedientes que começam às 6 horas na indústria, 8h no comércio e 10h nos serviços. Para a administração do município, a medida facilita o transporte de casa para trabalho e vice-versa.

Na quinta-feira (19), o grupo se reúne, novamente, para verificar ações e novas medidas.

Outras medidas

Marcelo Crivella disse que solicitou a liberação de parte dos recursos do FGTS para ajudar a controlar a transmissão da doença. 

“Submeti ao Governo Federal minha situação de emergência, mas isso precisa ser aprovado pela Secretaria Nacional de Defesa Civil. Estou esperando a resposta ainda hoje“, disse. E completou: “Vai me dar condição de comprar sem licitação, requisitar mão de obra sem concurso, além de outras medidas que podem fazer frente”.

Crivella também afirmou que o governador Wilson Witzel solicitou a cessão do terreno do Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca, para fazer uma área de atendimento hospitalar de emergência.

Em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (17), o Prefeito do Rio anunciou novas medidas de enfrentamento ao coronavírus.