Navio com 995 ocupantes no AM vai voltar à Europa após desembarque proibido


Da CNN Brasil, em São Paulo
19 de março de 2020 às 07:12 | Atualizado 19 de março de 2020 às 07:32
Agentes da Anvisa inspecionaram navio de cruzeiro alemão que atracou no Amazonas

Agentes da Anvisa inspecionaram o navio de cruzeiro alemão que atracou no Amazonas

Foto: Edson Aquino - 18.mar.2020/ Secom

Após inspeção feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nessa quarta-feira (18), seguem impedidos de desembarcar do navio de cruzeiro alemão Amera, os 995 ocupantes da embarcação, que chegou ao Amazonas na terça-feira (17).

Na terça (17), o governador amazonense, Wilson Lima, disse, na página que mantém no Facebook, que nenhum passageiro desceria do navio durante a crise do coronavírus. “Ninguém vai descer em solo amazonense. Em condições normais, são muito bem-vindos, mas diante dessa pandemia do coronavírus, não podemos colocar nossa população em risco”, disse ele em um vídeo publicado na mesma rede social. 

Leia também: 

Coronavírus: ibuprofeno e cortisona não são recomendados para sintomas

Lima ponderou: “Eles vão atracar no nosso porto e, por uma questão humanitária, vão abastecer a embarcação com água potável e mantimentos para que possam retornar” à Alemanha, explicou. O navio, que levava turistas por expedição pelo Norte do país, deve partir de volta à Europa ainda nesta quinta-feira (19), segundo a Anvisa.

Aprovado na inspeção

De acordo com a Empresa Estadual de Turismo da Amazônia (Amazonastur), o coordenador de vigilância sanitária de portos e aeroportos e fronteiras da Avisa, Jefferson Caldas, informou que o navio - com 571 passageiros e 424 tripulantes - chegou ao Amazonas por volta de 8h de terça e logo depois passou por inspeção.

Caldas disse que a “embarcação se encontra dentro das condições sanitárias exigidas pela Anvisa. As condições de saúde de toda a tripulação e dos passageiros também estão dentro da normalidade, principalmente em relação ao coronavírus”.

“Não temos nenhum caso suspeito, durante essa viagem também não foi apresentada nenhuma situação de saúde que se enquadrasse como caso suspeito em relação ao Covid-19”, afirmou o coordenador.

Leia também: 

Água com sal, dez segundos sem ar: o que não se deve fazer contra o coronavírus

A Amazonastur informou que o cruzeiro Amera será a última embarcação a aportar em Manaus na temporada atual. Outros cinco navios estavam programados, mas foram cancelados.

O Decreto n° 42.061, assinado por Wilson Lima na segunda-feira (16/03), determina que “a autoridade portuária do Estado do Amazonas, responsável pela administração do porto de Manaus, poderá suspender as operações de atracação de cruzeiros e outras embarcações de passageiros de grande porte, nos termos dos incisos VIII e X do 1º art. 17 da Lei Federal nº 12.815, de 5 de junho de 2015”.

Segundo a Secretaria de Saúde do Amazonas, o estado tem com dois casos confirmados de COVID-19. Em todo o país, de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde, 500 pessoas estão infectadas.