Calamidade por COVID-19, comércio fechado em SP e mais da tarde de 20 de março

5 Fatos Tarde, com Luciana Barreto, destaca as informações sobre o avanço do coronavírus pelo mundo

Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 13:37

O avanço do novo coronavírus no Brasil, o fechamento de comércios em São Paulo e o segundo dia sem novos casos na China. Esses são os destaques do 5 Fatos Tarde desta sexta-feira, 20 de março de 2020.

Coronavírus

O avanço do novo coronavírus no Brasil obriga estados a controlar a entrada de pessoas e a tomar medidas mais rígidas de controle. Já temos registro de casos em 23 estados e no distrito federal. O número de infectados passa de 600. São sete mortos - todos no sudeste.

Portas fechadas

São Paulo, a maior cidade do país, fecha estabelecimentos comerciais. Apenas os supermercados e outros serviços essenciais continuam abertos. O decreto do prefeito, Bruno Covas, entrou em vigor nesta sexta. O transporte público continua funcionando.

Esperança chinesa 

No mundo, a China tem o segundo dia sem registro de novas infecções locais do coronavírus. Já a Itália, novo epicentro da pandemia, ultrapassou o número de mortos da China, com quase três mil e quinhentos óbitos. A Espanha também já registra mais de mil mortos.

Anvisa 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) facilitou as regras para fabricação de antissépticos, como álcool em gel, para aumentar a oferta dos produtos ao consumidor. 

A resolução vale por 180 dias e dispensa empresas fabricantes, aquelas que já são cadastradas e têm alvará e licença sanitária, de autorização prévia da agência para a comercialização do produto. As empresas também podem receber doação de matéria-prima.

Calamidade pública 

O Senado Federal aprovou o decreto de calamidade pública. A sessão foi feita à distância, por meio de celular ou computador, sem que os parlamentares precisassem comparecer ao plenário. O reconhecimento do estado de calamidade pública permite que o governo federal ultrapasse os limites de gastos estabelecidos pela lei de responsabilidade fiscal.