Armados com fuzis, policiais controlam acesso aos trens no Rio

Medida começou a valer nesse sábado para combate ao coronavírus

Rachel Amorim Da CNN, no Rio de Janeiro
22 de março de 2020 às 13:32
Estação Gramacho, em Duque de Caxias
Foto: Raquel Amorim/ CNN

Policiais militares portando fuzis atuam em estações de trens na Baixada Fluminense, desde a manhã deste domingo (22), para restringir o acesso à cidade do Rio de Janeiro. Na estação Gramacho, em Duque de Caxias, foi montada uma barreira com grades de ferro. A ação tem o objetivo de reduzir a disseminação do novo coronavírus e está em vigor desde o sábado (21).  PMs estão em 14 estações de trens da Supervia, na Zona Norte do Rio e em municípios da Baixada. 

Só podem embarcar para o Rio de Janeiro os profissionais de serviços essenciais: agentes de segurança – inclusive privada –, setor de saúde em geral, quem trabalha com comércio de alimentos, farmácias, profissionais do transporte público, da coleta de lixo, postos de gasolina, entre outros serviços de relevância.

Esses profissionais poderão estar com um acompanhante, desde que este leve consigo um atestado médico ou outro documento que comprove bom estado de saúde. Em nota, a PM informou que "nos casos de desobediência, os policiais atuarão de acordo com o protocolo interno da corporação, que estabelece o uso progressivo da força". "Pelo espírito solidário demonstrado pela maioria esmagadora da sociedade durante essa crise, o comando da Polícia Militar está confiante de que contará com a compreensão de todos. Contudo, em caso de desobediência, o infrator receberá voz de prisão, como está previsto na legislação vigente", avisou. 

Estação de trem Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense
Foto: Rachel Amorim

O planejamento da PM é para todo o estado, mas nesse primeiro momento, é a formação de um cordão de isolamento sanitário na capital para evitar o avanço da doença.De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, o Rio tem 119 pessoas infectadas pelo coronavírus.

No sábado também foi confirmada a 3ª morte no estado. A capital fluminense já registrou 99 diagnósticos positivos. Alvos do bloqueio, Niterói tem 10 casos, e Guapimirim, na Baixada Fluminense, 1 caso. Petrópolis, na região serrana, tem 3 resultados positivos para a doença, Miguel Pereira no sul-fluminese, 1, além de 4 casos de estrangeiros.