Bruno Covas vai se submeter a teste do novo coronavírus


Pedro Duran Da CNN, em São Paulo
23 de março de 2020 às 19:38 | Atualizado 23 de março de 2020 às 21:41
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, fala de coronavírus em entrevista à CNN

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, fala de coronavírus em entrevista à CNN

Foto: CNN (20.mar.2020)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vai se submeter a um exame para verificar a contaminação pelo COVID-19. De acordo com nota da assessoria de imprensa do município, ele ficará isolado, trabalhando em seu gabinete, até que o resultado seja publicado. Em tratamento contra um câncer, o tucano é considarado parte do grupo de risco ao novo coronavírus. 

O exame será feito depois que o médico infectologista David Uip, de 67 anos, chefe do Centro de Contingência para o coronavírus em São Paulo testou positivo para a doença nesta segunda-feira (23). Bruno Covas esteve com Uip nos últimos dias em anúncias diários de medidas tomadas pelos governos estadual e municipal.

O governador João Doria (PSDB), que também esteve próximo de Uip em entrevistas coletivas e reuniões, fez o teste assim que teve a confirmação de que o assessor estava com a doença e aguarda o resultado. O resultado positivo do infectologista pegou o o núcleo próximo do governador de surpresa, já que além de peça fundamental no enfrentamento da crise na saúde, Uip também teve contato próximo com vários membros do alto escalão estadual. 

Médico de formação e infectologista, David Uip vem dividindo o trabalho para o governo com sua agenda no consultório particular em São Paulo. Antes, ele havia sido secretário estadual da saúde na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) e diretor da Faculdade de Medicina do ABC.

O médico foi chamado pelo governador João Doria para chefiar um grupo intersetorial que monitora a evolução da Covid-19 em São Paulo e desenvolve ações de prevenção pra frear o contágio de quem vive no estado. Além de chefe do centro de controle do coronavírus, David Uip ainda é médico pessoal do secretário da saúde da capital paulista, Edson Aparecido, e do próprio Bruno Covas.

Espera

Prefeito e governador foram os primeiros a se testar. Enquanto aguarda o resultado, o prefeito Bruno Covas está no gabinete dele, na prefeitura de São Paulo, onde já vinha morando nos últimos dias.

O local foi adaptado para o prefeito, que suspendeu encontros presenciais até saber se também pegou o novo coronavírus. Já Doria se retirou para a ala residencial do Palácio dos Bandeirantes, até receber o resultado. Interlocutores dele esperam que a notícia venha entre a noite desta segunda-feira e a madrugada.

Alto escalão

Depois de confirmado o diagnóstico de Covid-19 para o infectologista David Uip, que é chefe do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, membros do gabinete do governador João Doria e do prefeito Bruno Covas também se submeterão ao teste.

Preocupam a prefeitura e o governo, os secretários com mais de sessenta anos ou comorbidades. É o caso de Edson Aparecido e do secretário municipal de Transportes, Edson Caran. Os dois vão passar por testes para o novo coronavírus na manhã desta terça-feira. Ambos já haviam tido resultado negativo há cerca de dez dias, quando fizeram uma primeira análise.

Também tiveram contato com Uip, os secretários estaduais de Logística, João Octaviano, e Fazenda, Henrique Meirelles, além do próprio secretário de Saúde, José Henrique Germann. Rossieli Soares, secretário de Educação, avalia ainda se fará o teste por ter diabetes, o que o inclui no grupo de maior vulnerabilidade. Ele também se reuniu com Uip nos últimas dias.

Assim que confirmada a notícia, a ordem no Palácio dos Bandeirantes foi para testar todos que tiveram contato com o infectologista. A estimativa inicial é de pelo menos 15 pessoas. Quem tiver o diagnóstico confirmado, vai precisar se afastar imediatamente, seguindo a recomendação de quarentena.