Crivella pede que supermercados priorizem idosos em serviço de delivery

Jairo Nascimento Da CNN, no Rio
23 de março de 2020 às 12:34 | Atualizado 23 de março de 2020 às 13:28
Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (22.mar.20)
Foto: Reprodução

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou novas medidas para contenção da crise causada pela pandemia de COVID-19. Crivella reforçou o pedido para que todos os supermercados ofereçam um serviço de delivery que entregue as compras em até 48 horas, privilegiando os idosos. O prefeito explicou que poderá solicitar apoio da guarda municipal para evitar aglomerações nestes estabelecimentos.

À partir das 00h desta terça-feira (24), a empresa responsável pela limpeza pública (COMLURB) terá uma programação para limpeza de espaços públicos como acessos aos trens, metrôs, barcas, hospitais municipais e estaduais e regiões do centro da cidade onde se encontra o maior número de moradores de rua.

A limpeza será diária. Serão disponibilizados 20 caminhões pipa, 10 vans de limpeza e 30 pulverizadores. O prefeito disse que serão instalados tanques com água e sabão no acesso das comunidades. A prefeitura está construindo abrigos para moradores de rua na regiões de Honório Gurgel, Santo Cristo e no Sambódromo. O prefeito não anunciou quando os abrigos ficarão prontos.

Neste domingo (22), o prefeito tinha determinado o fechamento obrigatório de todo o comércio na cidade a partir desta terça-feira.  As exceções são postos de gasolina, farmácias, supermercados, estabelecimentos de equipamentos médicos e ortopédicos, praças de alimentação de shoppings e bares e restaurantes com restrições de atendimento ao público. Segundo a determinação, as medidas não tem prazo para acabar.

Sobre as medidas de saúde, Crivella explicou que estão trabalhando num acordo com hotéis para abrir idosos mais vulneráveis em hotéis. A prefeitura estuda uma forma de locomoção e abrigo, tal como vai efetuar o pagamento de diárias aos hotéis. De acordo com o prefeito, os idosos já estão cadastrados em programas de saúde família. 

A secretária municipal de saúde, Ana Beatriz Busch, pediu para que se evite uma corrida aos postos de saúde. Nesta segunda (23), a prefeitura começou a campanha de vacinação contra gripe. Além das unidades de saúde, cinco postos do Detran-RJ estão recebendo idoso para vacinação “drive thru”. Os idosos não precisam descer dos carros para receber a vacina.

A secretária explicou que, inicialmente, serão vacinados idosos com mais de 80 anos, pessoas com dificuldade de locomoção e moradores de rua. A primeira fase da campanha se estenderá até dia 3 de abril. Após esta data, a campanha será direcionada a outras faixas que serão anunciadas. A secretaria também vai disponibilizar doses da vacina para que médicos e enfermeiros possam vacinar os vizinhos.

Serão entre 10 a 50 doses. Os profissionais serão orientados sobre como lidar com os remédios e sobre a prestação de contas da vacinação. Durante a coletiva, a secretária informou que os profissionais da prefeitura tem tido acesso aos equipamos de segurança para prevenção da doença, os EPIs, e que, em breve, a cidade receberá mais máscaras e equipamentos que foram adquiridos pelo Ministério da Saúde e repassados ao governo do estado.

Ana Beatriz também pediu que os idosos evitem uma corrida aos postos para evitar aglomerações e explicou um atraso na abertura dos postos de saúde pode acontecer, pois os funcionários tem encontrado dificuldade de locomoção até os locais de trabalho.

Ao explicar medidas econômicas, o prefeito disse que estão em estudo o auxílio para 10 mil trabalhadores ambulantes que irão receber, em breve, cestas básicas. Eles devem estar cadastrados previamente pela prefeitura. Taxistas também serão ajudados, mas o prefeito não explicou de que maneira.

De acordo com Crivella, nesta semana a Câmara do Rio votará dois projetos de lei sobre fundos para ajuda. Um projeto prevê a arrecadação de dinheiro para os diretamente prejudicados pela falta de atividade econômica. O outro se trata sobre um fundo de apoio exclusivo ao combate da COVID-19.

Crivella ainda disse que foram registrados casos de passageiros em pé em ônibus do BRT. Tal prática havia sido proibida na última semana. Para mitigar o problema, a prefeitura disponibilizou ônibus simples para circular entre as regiões da zona oeste com maior fluxo de passageiros. A operação, se necessário, poderá ser repetida. Ele explicou que pode usar a Guarda Municipal para orientar a população sobre o uso dos ônibus.