Suspensão de dívida, pacote do BNDES e mais notícias da manhã de 23 de março


Da CNN, em São Paulo
23 de março de 2020 às 06:12 | Atualizado 23 de março de 2020 às 07:17

A suspensão de pagamento da dívida de São Paulo com a União, o anúncio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com medidas para reduzir os efeitos do novo coronavírus na economia, o pacote de estímulo trilionário rejeitado nos Estados Unidos, o fechamento da fronteira para estrangeiros vindos do Uruguai e a quarentena da chanceler alemã, Angela Merkel, são os destaques da manhã desta segunda-feira, 23 de março de 2020.


Dívida Suspensa

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, autorizou o governo de São Paulo a não pagar parcela de dívida de R$ 15 bilhões com a União, suspendendo o pagamento por 180 dias. O dinheiro deverá ser usado para combater o novo coronavírus. São Paulo é o estado que concentra o maior número de casos no país.

Pacote do BNDES

Um pacote de R$ 55 bilhões foi anunciado neste domingo (22) pelo presidente do BNDES, Gustavo Montezano. O valor visa reduzir os efeitos da pandemia do novo coronavírus e pretende manter mais de 2 milhões de empregos ativos no país. Dentre as medidas estão: liberação de saques do FGTS, suspensão de pagamentos de financiamentos, ampliação de linhas de créditos e refinanciamentos.

Estados Unidos

O pacote trilionário de estímulo econômico apresentado por Donald Trump foi rejeitado em votação no Senado dos Estados Unidos. Os parlamentares empataram em 47 a 47, em seção realizada ontem (22). Eram necessários 60 votos. Este seria o maior pacote econômico dos Estados Unidos. Os oposicionistas argumentam que a proposta deveria ser mais focada em ajudar trabalhadores, hospitais e profissionais da saúde.

Uruguai

Uma portaria publicada na noite de ontem (22) no Diário Oficial da União restringe a entrada de estrangeiros provenientes do Uruguai. A medida tem duração de 30 dias e visa reduzir a propagação do novo coronavírus. A decisão não se aplica para residentes, cônjuges e outros grupos.

Alemanha

A chanceler alemã, Angela Merkel, entrou em quarentena após ter tido contato com médico contaminado com o novo coronavírus na semana passada. Ela trabalhará de casa por duas semanas. Em entrevista coletiva neste domingo (22), Markel anunciou que vai endurecer medidas de combate ao COVID-19 no país, focando em reduzir ao máximo o contato entre pessoas.