Mourão defende o isolamento, Doria vs Bolsonaro e mais da noite de 25 de março


Da CNN, em São Paulo
25 de março de 2020 às 21:11

A fala do vice-presidente Hamilton Mourão, defendendo o isolamento como política oficial, o "fico" de Mandetta no Ministério da Saúde, os ecos da discussão entre João Doria e Jair Bolsonaro, e os números atualizados do coronavírus no Brasil estão entre os destaques do 5 Fatos Noite desta quarta-feira (25), 25 de março de 2020.

Recomendação oficial

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que a orientação do governo federal, até o momento, é pelo isolamento social. A fala vai na contramão do que defendeu Jair Bolsonaro, pela manhã, ao pregar pela adoção de isolamento apenas para idosos e para pessoas com doenças preexistentes.

Mandetta fica

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que fica no cargo apesar de estar pressionado. Ele afirmou que só deixa o posto se for dispensado pelo presidente, se ficar doente ou se, com o fim da crise, sentir que seu trabalho não é mais necessário. Fora desses cenários, ele segue trabalhando no ministério, afirmou.

Reunião extraordinária

Governadores se reuniram nesta quarta-feira (25) para debater uma ação conjunta para combater o novo coronavírus. O encontro foi marcado depois de pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em que ele fez críticas ao isolamento social, o que causou polêmica.

Reunião pouco amistosa

O presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria, discutiram durante teleconferência do governo federal e governadores do Sudeste. Doria criticou pronunciamento feito por Bolsonaro e o presidente, por sua vez, disse que ele deveria descer do palanque.

Números atualizados

O número de vítimas do novo coronavírus no Brasil chegou a 57. O Ministério da Saúde agora contabiliza 2.433 casos da doença.

Fake news em alta

Nas redes sociais há muita gente comentando a fake news que diz que o H1N1 em 2009 causou mais mortes que a COVID-19. A informação é falsa: o coronavírus já matou mais gente.