O que abre e o que fecha em São Paulo durante pandemia do coronavírus?


Da CNN, em São Paulo
26 de março de 2020 às 06:00
Lojas fechadas por decreto de quarentena na 25 de março, em São Paulo

Lojas fechadas por decreto de quarentena na 25 de março, em São Paulo

Foto: Amanda Perobelli/Reuters (24.mar.2020)

Passou a valer nesta terça (24) o decreto de quarentena em todo o estado de São Paulo. A medida proíbe o funcionamento do comércio, com a manutenção somente de serviços essenciais. A medida é válida até 5 de abril e pode ser postergada.

Na capital, o comércio não-essencial já estava fechado desde sábado (21), por decreto da Prefeitura.

Mercados, farmácias e agências bancárias continuam abrindo normalmente. Bares e restaurantes só poderão operar com sistemas de entrega e retirada de produtos.

Caso a norma não seja cumprida, a fiscalização pode aplicar multas e até cassar a licença de funcionamento, em caso de reincidência.

Leia também:

Prefeitura de SP vai cortar frota de ônibus pela metade por tempo indeterminado

Veja o que abre e o que fecha em São Paulo durante a pandemia do coronavírus.

O que abre?

- Mercados, açougues e padarias;

- Farmácias;

- Hospitais, clínicas médicas e odontológicas;

- Postos de combustível;

- Oficinas mecânicas;

- Agências bancárias e lotéricas;

- Pet shops;

- Bancas de jornal;

- Armazéns e transportadoras;

- Call centers.

O que fecha?

- Escolas públicas e particulares;

- Bares e restaurantes (exceto por pedidos para entrega ou retirada);

- Baladas e casas noturnas;

- Espaços para shows e eventos;

- Academias;

- Shoppings;

- Lojas de varejo.